Como enfrentar o envelhecimento dos pais?

aartedeseravoComo se preparar para esta situação ou como lidar com ela? Será que precisamos tomar as decisões no lugar dos nossos pais?

Chega um momento da vida em que os filhos se tornam pais dos seus pais, devido à velhice ou doença destes. Assumir esta etapa nem sempre é fácil, pois os filhos estão mais acostumados a vê-los cheios de vitalidade, energia e independência. Como se preparar para esta situação ou como enfrentá-la quando já está presente?

A responsabilidade como filhos adultos é velar pelo bem-estar dos pais. Esta não é simplesmente uma maneira de recompensá-los por tudo o que fizeram pelos seus, mas, acima de tudo, um compromisso que confere a tranquilidade do dever cumprido, de entregar todo o amor recebido deles.

Uma nova etapa

É preciso aceitar que os pais já não são os mesmos que antes; agora provavelmente estão doentes, começam a ter pequenos esquecimentos, reclamam de algumas dores físicas e podem se tornar um pouco teimosos, o que exigirá cada vez mais cuidados da família. Chega a hora de começar a cuidar dos pais, os papéis se invertem.

Esta mudança de mentalidade, ou seja, a assimilação do envelhecimento dos pais, pode ser uma realidade difícil de aceitar para algumas pessoas, e isso se manifesta por vezes mediante raiva, impaciência, exigências com os pais, com frases fortes como “Mãe, eu já lhe disse isso!”, “Será que você não entende?”.

Leia também: “Honrar Pai e Mãe”

Envelhecer: Fracasso? Sabedoria? EB (Parte 1)

Envelhecer: Fracasso? Sabedoria? EB (Parte 2)

Como levar os pais para Deus?

A situação obriga a conciliar a própria vida – cônjuge, filhos, trabalho, lar – com as novas exigências dos pais. Esta demanda de tempo por parte dos pais pode provocar problemas no próprio núcleo familiar do filho.

Assim, será necessário conversar com o cônjuge e com os filhos; dependendo da sua idade, expor a situação dos avós, explicando suas necessidades e deixando claro que a família não os abandonará, e que seu papel de pais/avós continuará sendo o mesmo de sempre.

Também é importante pedir seu apoio, pois esta situação será dolorosa e esgotadora. Igualmente, será preciso buscar o equilíbrio sem desatender nenhuma das duas famílias.

Assista também: É preciso saber envelhecer – Eclo 25, 5-8

Algumas maneiras de preparar-se ou enfrentar a situação:

familia_santuario_da_vida– A velhice dos pais requer um trabalho conjunto de toda a família. Os filhos precisam se unir e fazer um ajuste no papel de cada integrante, avaliando sua disponibilidade para este fim, buscando que todos sejam ativos nesta tarefa; a responsabilidade não deve recair apenas sobre uma pessoa.

– Se for necessário, também poderão analisar as possibilidades financeiras para buscar ajudas extras (enfermeiras, auxiliares etc.) que sirvam de suporte, mas que de maneira alguma substituirão os filhos em suas responsabilidades.

– Alguns estudos indicam que a carga emocional de ter de cuidar de pais idosos poderia ter repercussões negativas em alguns casos. Portanto, é recomendável buscar momentos de lazer, nos quais o cuidador possa se livrar do estresse, isolando-se por alguns instantes desse cenário.

– Se for preciso, pode ser importante consultar um profissional especializado nestes casos, como um psicólogo, psiquiatra, geriatra, que darão apoio e orientação para a tomada de decisões, serão um suporte emocional e contribuirão para esclarecer as dúvidas desta difícil e delicada etapa.

Fonte: http://www.aleteia.org/pt/saude/artigo/como-enfrentar-o-envelhecimento-dos-pais-5834339648536576

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.