Pe. José Eduardo denuncia que STF cortou sua fala em vídeo de audiência sobre o aborto

Segundo o ACI Digital (08/08/2018), depois de participar de audiência pública no Supremo Tribunal Federal sobre a descriminalização do aborto e apontar o ativismo judicial, Pe. José Eduardo de Oliveira, da Diocese de Osasco (SP) denunciou que sua fala foi cortada em vídeo publicado no canal oficial da instituição, o qual foi retirado do ar em seguida.

O sacerdote, que é professor de Teologia Moral, foi um dos representantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) durante a audiência pública convocada pelo STF sobre a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 442/2017 (ADPF 442), que propõe a descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação. A audiência aconteceu nos dias 3 e 6 de agosto e o presbítero participou no segundo dia.

URGENTE: O STF CORTOU MEU VÍDEO!O link do vídeo do STF está aqui: https://youtu.be/nqH5GjABdRk. Curioso é que, a partir deste corte, todas as apresentações da manhã foram cortadas e, no lugar, foram colocadas as falas da sexta-feira! Na segunda-feira de manhã tinha mais pró-vidas!!! ESTRANHO!

Posted by José Eduardo on Tuesday, August 7, 2018

Na terça-feira, 7 de agosto, Pe. José Eduardo informou em sua página de Facebook que o canal oficial do SFT no Youtube havia publicado vídeos da íntegra da audiência, porém, a sua fala tinha sido cortada.

“Para minha surpresa, eles simplesmente cortaram a parte final do meu discurso, justamente aquela em que eu começava falando sobre a Romênia, que foi muito citada na audiência e é apresentada como exemplo de diminuição do número de aborto após a aprovação e eu mostrava que, muito pelo contrário, o aborto na Romênia é nove vezes maior do que no Brasil”, afirmou.

Segundo o sacerdote, “mostrando esses números, chegava à conclusão de que, exatamente ao contrário do que tinha sido sustentado na audiência de sexta-feira, quando se legaliza o aborto, o número de práticas aumenta”.

“Então, eu terminava dizendo: ‘Não mintam para o povo brasileiro, não subestimem a democracia. Democracia não é somente voto’. Essa frase é sempre muito dita pelo ministro Barroso”.

No trecho cortado de sua fala, o sacerdote ainda afirmava que “os brasileiros estão vendo o que está acontecendo aqui. Sabem o teatro que está sendo armado e sabem fazer valer o seu papel no regime democrático”.

Para Pe. José Eduardo, “é um absurdo que justamente o STF não queira nos dar a voz completa e agora corte o vídeo da nossa apresentação. Eles disseram que estavam lá para ouvir, mas, como vocês podem perceber, não é bem isso”.

Após essa denúncia feita por Pe. José Eduardo em suas redes sociais, o vídeo da audiência com a sua participação foi retirado do canal do Youtube do STF. O vídeo em que mostrava a participação do sacerdote era intitulado ‘Audiência Pública – Descriminalização do aborto (4/4)’.

Até o fechamento desta matéria, estavam no canal do Youtube do Supremo apenas os vídeos 1/4, 2/4 e 4/4.

“Curioso é que, a partir deste corte, todas as apresentações da manhã foram cortadas e, no lugar, foram colocadas as falas da sexta-feira! Na segunda-feira de manhã tinha mais pró-vidas!!! Estranho!”, denunciou Pe. José Eduardo, ao atualizar sua publicação na tarde de terça-feira.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/pe-jose-eduardo-denuncia-que-stf-cortou-sou-fala-em-video-de-audiencia-sobre-o-aborto-46281

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.