Papa convida os leigos a serem mais incisivos com a própria fé nos campos político e econômico

Na audiência aos participantes da Plenária do Pontifício Conselho para os Leigos que aconteceu em Roma e que teve como tema a pergunta: “Não devemos talvez novamente recomeçar por Deus?”, o Santo Padre afirmou que “não deveríamos nunca nos cansarmos de repropor a questão de Deus hoje, de recomeçar por Deus”, para “dar novamente ao homem a totalidade das suas dimensões, a sua plena dignidade”.

O Santo Padre ao recordar os encontros e as iniciativas que dão novo impulso e esperança à missão evangelizadora da Igreja no mundo (por exemplo: o Ano da Fé programado para o ano que vem, o Congresso para os Leigos da Ásia que aconteceu em Seul no ano passado e aquele para os leigos da África na República dos Camarões em 2012 e a Jornada Mundial da Juventude) fez um apelo para que se encontrem respostas à mentalidade moderna que renuncia a toda e qualquer referência ao transcendente.

Foi essa mentalidade que “se demonstrou incapaz de compreender e preservar o humano” e, por isso, como consequência, gerou a “crise de significado e de valores”.

A questão de Deus é fundamental, porque o “homem que busca existir somente de modo positivo, no calculável e mensurável, por fim, fica sufocado”. Enquanto “homem que desperta dentro de si a questão sobre Deus, abre-se para a esperança, para uma esperança confiável”.

Bento XVI afirmou que o questionamento que se coloca sobre Deus não é uma questão de decisão ética ou alguma grande ideia, mas ele se inicia com o encontro pessoal. Inicia-se no encontro “com quem tem o dom da fé, com quem tem uma relação vital com o Senhor”.

Neste ponto foi que o Papa ressaltou a importância do papel dos fiéis leigos que devem “voltar de modo mais decidido à centralidade de Deus”, sendo “mais incisivos” no campo social, político e econômico no qual são chamados a operar.

Também a própria Igreja foi convidada a ser mais incisiva, pois, como afirmou o Papa, “as doenças do mundo” influem também no interior do “tecido eclesial”.

***
Fonte: Gaudium Press

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.