Alerta geneticistas sobre células-troncos

RÍMINI,
sexta-feira, 27 de agosto de) 2004 (ZENIT.org).-
Longe do que se pensa e se difunde, «as células estaminais embrionárias
raramente surtem o efeito esperado», revelou na quarta-feira o professor Angelo
Luigi Vescovi –co-diretor do Instituto de Investigação de Células Estaminais
do Hospital San Rafael de Milão– no multitudinário «Meeting» que desde o dia
22 passado acontece na localidade italiana de Rímini por iniciativa de Comunhão
e Libertação.

Especialista internacional neste campo da ciência, o professor de Biologia
Celular afirmou que a idéia «segundo a qual as células extraídas dos embriões
sejam verdadeiramente a panacéia de todos os males não está fundada
cientificamente».

De acordo com suas explicações, «as células estaminais estão presentes no
organismo humano pelo feto desenvolvido até a morte do indivíduo. E estão ali
para trabalhar como uma grande e extraordinária oficina de manutenção» que
funciona «em todo instante do dia para substituir as células que inclusive com
o mais banal dos movimentos morrem».

Assim descreveu a existência de células estaminais disponíveis para todo tipo
de tecido, prontas para curar, se necessário, qualquer dano. Basta pensar que
cada quinze dias todos os glóbulos vermelhos da pessoa são restabelecidos.

O professor Vescovi sublinhou que as «verdadeiras células estaminais são as dos
adultos», que «em termos especialistas se denominam “somáticas” ou
“plurioptentes”».

As embrionárias se chamam ao contrário “totipotentes” e estão feitas para
«criar, não reparar», distinguiu.

«Contrariamente a quanto difundem os meios de comunicação – avisou – as células
estaminais raramente surtem o efeito esperado. Poderão inclusive revelar-se
muito perigosas, criando as condições para a formação de neoplasias ou
tumores».

Ao fio do anterior, precisou que o «embrião é um ser humano»: «isto é
inegável», declarou à publicação «Meeting quotidiano» (26 de agosto) do
encontro de Rímini.

Neste contexto, o genetista –que se define «agnóstico, praticamente ateu» e
«taoísta», advertiu que «qualquer intento de fazer começar a vida humana em um
momento posterior é arbitrário e não sustentado por argumentação científica».

Para o professor Vescovi, o modo de obter células estaminais embrionárias é
«dos abortos espontâneos».

«Disse “espontâneos”», afirmou. De fato, «bastarão os 44 abortos que ocorrem
semanalmente só na província de Milão para a terapia de milhares de enfermos»,
concluiu.O professor Angelo Vescovi
intervem no «Meeting» de Rímini (Itália)

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.