650 mil pessoas compareceram na “Marcha pela vida” nos EUA

O site ACIDIGITAL informou neste domingo (27 de janeiro de 2013), que aproximadamente 650 mil pessoas se reuniram sexta-feira em Washington, na “Marcha pela Vida”, para protestar contra a legalização do aborto nos Estados Unidos. Este ano com o lema: “40 Anos = 55 milhões de bebês mortos como produto do aborto”.

Os milhares de participantes que compareceram a marcha este ano tiveram que enfrentar neve e baixas temperaturas, e não deixaram de expressar seu entusiasmo e esperança enquanto lutavam pela dignidade de toda vida humana.

Um seminarista de 23 anos, Tony Visintainer, em entrevista ao grupo ACIDIGITAL afirmou que a marcha teve muita energia, e que a multidão cantava e dançava pelas ruas de Washington levando cartazes e expressando seu apoio à vida, e ainda muitos rezavam em silêncio.

Derek Smith do estado de Ohio participou da Marcha com outros membros de sua paróquia e testemunhou  que se converteu à Igreja Católica logo depois de sua primeira participação na Marcha pela Vida, quatro anos atrás. E ainda afirmou: “Realmente, isto é o que me fez me decidir ser católico”, disse Smith, indicando que uma coisa que mudou sua forma de pensar sobre a Igreja foi “o poder atrás da marcha, tanto em orações como na dedicação das pessoas que participam.

Algumas mulheres e homens que compareceram à marcha falaram sobre a experiência de dor que o aborto deixou em seus corações e em suas mentes. Como Josephine Todd, de 59 anos, que afirmou ter abortado em 1980, antes de converter-se em pró-vida. E testemunha dizendo que foi à Marcha pela Vida para “dar meu coração” e defender o que é correto, mostrando “o que nunca devi ter feito”, e ajudando outros a não cometerem o mesmo erro que no passado cometera.

Ficou muito evidente a presença de estudantes universitários. Muitas universidades mandaram números altos de estudantes à capital dos Estados Unidos para participar da marcha.

Grupos pró-vida de várias universidades da Ivy League, entre as que se encontram as de Harvard, Yale e Princeton, reuniram-se para uma foto grupal antes de começar e emprestaram seu apoio à marcha.

O convicta resposta de  Chrissy Rodriguez, estudante de 20 anos da Universidade de Harvard, é o sentimento que pairava sobre os participantes da marcha. Ela disse que confia na habilidade do movimento pró-vida para mudar as coisas: “Sou apenas uma pessoa”, disse, “mas sou uma pessoa que pode gritar ao mundo: É nisto que acredito!”.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=24764

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.