Viganò, ex-núncio nos EUA, é excomungado por cisma

Segundo o ACI Digital (05/07/2024), o Dicastério para a Doutrina da Fé da Santa Sé considerou o arcebispo Carlo Maria Viganò culpado do crime de cisma e declarou sua excomunhão.

O dicastério informou na quinta-feira (4) por meio de um comunicado que o processo criminal extrajudicial contra o arcebispo titular da Ulpânia, dom Carlo Maria Viganò, acusado do crime de cisma, foi encerrado.

“São conhecidas as suas declarações públicas, da qual resulta a sua recusa em reconhecer e sujeitar-se ao Sumo Pontífice, da comunhão com os membros da Igreja a ele sujeitos e da legitimidade e da autoridade magisterial do Concílio Ecumênico Vaticano II”, destaca a Santa Sé.

Ao final do processo criminal, “Dom Carlo Maria Viganò foi considerado culpado do delito reservado de cisma” e, por isso, o Dicastério declarou “a excomunhão latae sententiae”, isto é com a pena imposta pela simples declaração de que a lei foi violada, disse a Santa Sé em mensagem divulgada na sexta-feira (5).

Segundo a Santa Sé, reversão da condenação nesses casos está reservado à Sé Apostólica e a decisão foi comunicada na sexta-feira (5) a dom Viganò, que foi núncio apostólico nos EUA de 2011 a 2016.

Início do processo pelo crime de cisma

O arcebispo excomungado falou nas redes sociais em 20 de junho sobre o início de um processo contra ele pelo crime de cisma pelo Dicastério para a Doutrina da Fé.

Viganò também disse que foi convocado a Roma em 20 de junho para enfrentar um processo criminal extrajudicial pelas acusações. No entanto, o arcebispo desafiou a intimação da Santa Sé e reiterou sua alegação de que o papa Francisco não é o papa legítimo da Igreja Católica.

As acusações específicas descritas contra o arcebispo Viganò envolviam fazer declarações públicas que negam os elementos fundamentais necessários para manter a comunhão com a Igreja Católica. Isso inclui negar a legitimidade do papa Francisco como pontífice legítimo e rejeitar totalmente as decisões do Concílio Vaticano II.

O núncio apostólico emérito nos EUA, que em 2018 acusou altos funcionários da Igreja de encobrir abusos cometidos pelo ex-cardeal americano Theodore McCarrick, rejeitou repetidamente a autoridade do papa Francisco desde então e pediu a renúncia do papa.

Em longa declaração publicada nas redes sociais em 28 de junho, Viganò acusou o papa Francisco de “heresia e cisma”, criticou-o por promover as vacinas contra a covid-19 desenvolvidas todas com células obtidas de bebês abortados, e pelo acordo de conteúdo secreto de 2018 entre a Santa Sé e a China, que aparentemente dá ao governo comunista chinês o direito de nomear bispos.

O que significa excomunhão por cisma?

O cisma é um crime definido no cânon 751 do Código de Direito Canônico como “a recusa da sujeição ao Sumo Pontífice ou da comunhão com os membros da Igreja que lhe estão sujeitos”.

A excomunhão é a pena mais grave para uma pessoa batizada. Consiste em tirá-la da comunhão dos fiéis da Igreja Católica e, portanto, do acesso aos sacramentos.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticia/58426/vigano-ex-nuncio-nos-eua-e-excomungado-por-cisma

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.