Tire suas dúvidas sobre indulgências

chaplet-vinn1. O que é indulgência?

A indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados cuja culpa já foi apagada; remissão que o fiel devidamente disposto obtém em certas e determinadas condições pela ação da Igreja que, enquanto dispensadora da Redenção, distribui e aplica, por sua autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos (cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 1471).

2. Qual é a diferença entre indulgência parcial ou plenária?

A indulgência é parcial ou plenária, conforme liberar parcial ou totalmente a pena devida pelos pecados. Todos os fiéis podem adquirir indulgências para si mesmos ou aplicá-las aos defuntos.

Leia também: Indulgências: O que são?

Se a confissão perdoa os pecados, para que existem as indulgências?

10 respostas às perguntas mais comuns sobre as indulgências

Qual a importância das Indulgências?

Obras e orações indulgenciadas

Como surgiram as Indulgências?

3. Como lucrar indulgências?

Em geral, a obtenção das indulgências exige determinadas condições e cumprimento de certas obras. A Indulgência plenária só pode ser obtida uma vez por dia, a não ser “in artículo mortis”, caso em que o fiel poderá ganhar a indulgência plenária por esse motivo, ainda que no mesmo dia já tenha ganhado já outra indulgência plenária.

Para obter as Indulgências, tanto plenárias como parciais, é preciso que, pelos menos antes de cumprir as últimas disposições da obra indulgenciada, o fiel esteja em estado de graça. Além disso, é necessário que o fiel: tenha a disposição interior do completo afastamento do pecado, mesmo só venial; se confesse sacramentalmente dos seus pecados; receba a Santíssima Eucaristia (certamente é melhor recebê-la participando na Santa Missa, mas para a Indulgência só é necessário a sagrada Comunhão), e reze pelas intenções do Sumo Pontífice.

4. Para lucrar a indulgência é preciso que a confissão, a comunhão, as orações pelo Papa e a obra indulgenciada, sejam feitas no mesmo dia?

o_que_sao_as_indulgenciasÉ conveniente, mas não é necessário que a Confissão sacramental, e em especial a sagrada Comunhão e a oração pelas intenções do Papa sejam feitas no mesmo dia em que se cumpre a obra indulgenciada, mas é suficiente que estes ritos sagrados e orações se cumpram dentro de alguns dias (cerca de vinte), antes ou depois do ato indulgenciado. A oração segundo a intenção do Papa é deixada à escolha do fiel, mas sugere-se um Pai-Nosso e uma Ave-Maria. Para diversas Indulgências plenárias, é suficiente uma Confissão sacramental, mas requerem-se uma sagrada Comunhão distinta e uma prece distinta, segundo a intenção do Santo Padre, para cada Indulgência plenária.

5. Posso lucrar indulgência por alguém da minha família?

As Indulgências são sempre aplicáveis a si próprios ou às almas dos defuntos, mas não a outras pessoas vivas sobre a terra.

Retirado do livro: “Seleta de Orações”. Ed. Cultor de Livros.

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.