Tarefa do católico ante o laicismo agressivo

placaindicativaprac3a7adrNenhum católico pode se omitir nesta luta que se trava hoje, sobretudo no sentido de destruir a vida e a família

O Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, fez em Singapura um pedido aos católicos, encorajando-os a assumirem uma tarefa importante ante o laicismo agressivo que busca retirar Deus da sociedade e da vida pública.

Conforme informou a Agência Fides, o Cardeal disse, na Solenidade da Assunção da Virgem Maria (15.08.2015), que “os fiéis católicos devem dar testemunho do Evangelho ante o laicismo agressivo que tenta retirar Deus da sociedade”. Ele explicou que o testemunho público da fé deve envolver “todas as pessoas de boa vontade em reconhecer o lugar da fé religiosa, a virtude e a moralidade como fundamentos essenciais de uma sociedade e uma nação” (ROMA, 20 Ago. 15 – acidigital.com).

Este é um alerta muito sério da segunda maior autoridade da Santa Sé. Muitas forças anticatólicas querem eliminar Deus e a Igreja da vida pública, desrespeitando a fé da maioria das pessoas. São forças que brotam de um ateísmo agressivo, laicismo, marxismo, feminismo radical, cristofobia, etc.

Um bom exemplo foi dado recentemente por um Prefeito espanhol, que só aceitou fazer o seu juramento na presença do crucifixo. O prefeito recém-eleito da cidade de Brunete, na periferia da capital espanhola, recusou fazer o juramento de posse sem a presença de um crucifixo! Por influência da cristofobia, o crucifixo havia sido removido da mesa do juramento, instalada na Plaza Mayor da cidade. O novo prefeito, Borja Gutiérrez Iglesias, enfrentou o anticatolicismo interrompendo o juramento e perguntando em alta voz “onde está o crucifixo?”

Sua atitude corajosa e coerente em relação à fé católica foi ovacionada pelo povo presente. Uma funcionária municipal trouxe às pressas o crucifixo e, assim, o novo prefeito repetiu o juramento enfrentando a ditadura cristofóbica. (Neste link você poderá ler a notícia na íntegra: http://goo.gl/bAjEgt. Também existe um vídeo a respeito:

Vídeo a respeito, assista em: https://goo.gl/TDTdBF

Em 26 de novembro de 2007, festa de Cristo Rei, conforme noticiou a ZENIT.org, o arcebispo britânico Vicent Nichols, fez um alerta: “É necessário que os fiéis se alertem perante quem deseja reconstruir a sociedade de uma forma que excluiria o cristianismo”.

De fato, isso é uma meta dos que não suportam o cristianismo, a moral católica que Cristo nos deixou, que não aceita o aborto, a eutanásia, a inseminação artificial, os úteros de aluguel, as manipulações de embriões, a pornografia, a prostituição oficializada, a legalização das drogas, o nudismo, a fornicação, a ideologia de gênero, o casamento de pessoas do mesmo sexo, etc., etc., etc… Como se vê, é longa a lista de imoralidades que Cristo e a Igreja católica não aceitam, mas que de uma forma totalitária se tenta impor à sociedade.

Leia também: Laicismo e intolerância

Estado laico ou laicista?

Teologia e Educação

A Igreja deve ficar na defensiva

É o que Bento XVI chamou de “ditadura do relativismo” contemporâneo, que “mortifica a razão, porque de fato chega a afirmar que o ser humano não pode conhecer nada com certeza além do campo científico positivo”.

Jesus Cristo é “sinal de Contradição”, anunciado desde o seu nascimento pelo profeta Simeão (Lc 1,34), e a Sua Santa Igreja também o será até o final dos tempos. Jesus disse que aquele que se envergonhar Dele diante dos homens, será por Ele rejeitado diante do Seu Pai. Assim, nenhum católico pode se omitir nesta luta que se trava hoje, sobretudo no sentido de destruir a vida e a família.

O Arcebispo de Santo Domingo, na República Dominicana, o Cardeal Nicolás de Jesús López Rodríguez, considerou que “existe um plano global executado por instituições não-governamentais para erradicar o cristianismo e estabelecer como lícitos os atentados contra a vida e a família”. O Cardeal explicou que há organismos internacionais que estão “forjando” um plano contra a humanidade. “Deus queira que o que está sendo tramado no mundo, através de congressos e parlamentos, por instituições não-governamentais, que é um plano perverso, macabro e insolente, Deus queira que isso não chegue a ser executado, porque o propósito é acabar, apagar do mapa tudo o que provenha da tradição judeu-cristã, pois o que procuram é perverter, danificar e corromper tudo” sustentou. (SANTO DOMINGO, 03 Out. 10 acidigital.com).

A Irmã Lúcia, vidente de Fátima, na carta que escreveu ao cardeal Cafarra, disse: “Deus contra Satanás: a última batalha, o enfrentamento final, será sobre a família e sobre a vida”. (Entrevista do Cardeal Carlo Cafarra concedida a La voce di Padre Pio em março de 2015)jesussinaldecontradio

Fruto de uma interpretação propositalmente equivocada da Constituição Federal, se vem formando no seio da sociedade, e especificamente no setor público, uma ideia “laicista” de que o uso de crucifixos e Bíblias em prédios públicos é uma ofensa a condição do Estado Laico brasileiro. Como disse o jornalista Carlos Alberto Di Franco, “a laicidade é importante, uma vez que consiste em reconhecer a independência e a autonomia do Estado em relação a qualquer religião ou igreja concreta, já o laicismo é uma ideologia totalitária contra toda e qualquer manifestação religiosa no campo público”. Ele afirma que “a laicidade está agasalhada na Constituição Federal em seu art. 19, I, já o laicismo é ofensivo ao art. 5º, VI, da mesma Constituição Federal”. O crucifixo e a Bíblia, são símbolos que ultrapassam em muito uma mera adesão de um Estado a uma religião, o crucifixo e a Bíblia são fecundos símbolos do homem ocidental e de seu encontro com sua humanidade.

Ouçamos, então, a voz do Secretário de Estado do Vaticano, que nos convida a “assumir uma tarefa importante ante o laicismo agressivo que busca retirar Deus da sociedade e da vida pública”.

Prof. Felipe Aquino

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.