O que foram as Cruzadas?

Entenda o que, de fato, foram as Cruzadas que aconteceram na Idade Média As “Cruzadas medievais” foram as expedições dos cristãos do Ocidente para libertar do domínio muçulmano o S. Sepulcro de Cristo em Jerusalém, que estava sendo destruído pelos turcos otomanos, muçulmanos. Começaram em 1095 e terminam em 1291, … Continue Lendo

Santa Clara de Assis: “Um clarão luminoso que brilhou na Idade Média”

“Clara de nome, mais clara de vida e claríssima de virtudes!” Sem dúvida ela é uma das santas mais amadas; nasceu em 1193 e morreu em 1253, contemporânea de São Francisco. Sua vida mostra-nos o quanto a Igreja deve a mulheres corajosas e ricas na fé como ela, que fizeram … Continue Lendo

Canonização dos personagens do Antigo Testamento

A canonização formal de santos só começou na Idade Média, com processos cada vez mais bem exigentes. Leia também: A Moral no Antigo Testamento Que significado tem o Antigo Testamento para os cristãos? Antigo Testamento: lendas ou história real? Por que a violência no Antigo Testamento? Como os personagens do AT … Continue Lendo

Quem eram os Cavaleiros Templários?

Eles, de fato, existiram?

Sim, eles existiram. Na verdade, a sociedade na Idade Média estava toda impregnada do espírito e da realidade dos cavaleiros. Efetivamente, a espiritualidade germãnica, França, celta, goda levou a civilização medieval o ideal do cavaleiro. Este aspirava a servir a Deus na bravura destemida, magnânima, e até mesmo na guerra (caso julgasse que a honra de Deus exigia a intervenção da espada). A espiritualidade do cavaleiro retratada nas canções e trovas da Idade Média era apta a suscitar façanhas heróicas em nome da fé.histigrejamediamenor

Mas deve-se lembrar que na ldade Média também os monges desenvolveram papel importante, professando, porém, uma espiritualidade assaz diversa do cavaleiro. Enquanto o cavaleiro procurava intensificar suas atividades no mundo, aspirando assim a unir-se a Deus e chegar à vida eterna, o monge se separava do mundo secular para penetrar diretamente em Deus e na contemplação. Enquanto o cavaleiro aplicava os instrumentos da sua profissão, isto é, as armas, para servir ao seu Senhor, o monge, professando pobreza e silêncio, recusava o recurso a tais expedientes.

Ora, os medievais haviam de conseguir fazer a síntese desses dois tipos de ideal cristão – o do cavaleiro e o do monge -, criando no século XII as chamadas “Ordens Militares”. Nestas o cavaleiro se consagrava a Deus para O servir com destemor e galhardia num quadro de pobreza, castidade e obediência. Referindo-se aos Templários, dizia São Bernardo (+1153):

“Não sei se os devo chamar monges ou cavaleiros; talvez seja necessário dar-lhes um e outro nome, pois eles unem, à brandura do monge a coragem do cavaleiro” (De laude nova emilidae (IV, 8).

Neste vídeo, o Prof. Felipe Aquino explica o contexto no qual apareceram e quem eram esses cavaleiros:

Os reis podiam ser excomungados pelos Papas?

Entre os reis da Idade Média, Felipe I da França, Godofredo de (Lorena), Felipe Augusto, Luís VII, Afonso IX de Leão e muitos outros foram excomungados pelos Papas. Luiz VII, João sem-Terra e Frederico de Hohenstafen sofreram a punição do interdito, que atinge a região inteira; neste caso os sinos … Continue Lendo

O que o estudioso Jacques Le Goff pensava a respeito da Idade Média?

O grande estudioso francês da Idade Média, Jacques Le Goff, agnóstico, disse que: “somos frequentemente medievais quando nos vangloriamos de sermos modernos; e frequentemente não passamos de “apreciadores da Idade Média” quando cremos nos enraizar no tempo das catedrais, dos cavaleiros, dos trovadores e dos comerciantes. Os códigos e os … Continue Lendo

Um cristão da Idade Média

Muitas pessoas julgam erroneamente o passado por não conhecerem a cultura e o embasamento das leis da época. A maior dificuldade para se estudar e entender bem a História, em especial a História bimilenar da Igreja, é saber compreender os acontecimentos do passado com a mentalidade da época em que … Continue Lendo