Somente a Tua graça me basta, e nada mais!

OpenHands2smO que é o dom de si?

Somos de Deus, Ele nos criou, nos tirou do nada, sem Ele nada somos. Como diz o salmista, somos as ovelhas do Seu rebanho (Sl 94); a Ele pertencemos por direito de criação.

Então, nossa vida só poderá ser boa e só alcançaremos a felicidade se entregarmos o dom da vida a Ele que é o Senhor.

O Pe. José Schrijvers ensina isso de modo maravilhoso em seu livro “Dom de Si”.

“Dar-se a Deus, ele diz, é entregar-se o corpo, a alma e a vida, abandonar-se todas as capacidades, aspirações e sentimentos, desejos e temores, esperanças e planos futuros, reservando apenas o cuidado de O amar.

so_por_ti_jesusDar-se a Deus é esquecer-se de si, é depositar no coração de Cristo todas as preocupações, todas as solicitudes e mil contratempos da vida cotidiana; é confiar-lhe todos os interesses pessoais, encarregando-O de prover a tudo, de tudo remediar.

Dar-se a Deus é desprender-se de si mesmo para só Nele pensar; é consagrar-se às obras que visam a Sua glória, é estender na medida das próprias forças o Reino da verdade, da justiça, do amor, da liberdade; é devotar-se aos outros por amor no Mestre, é auxiliar, instruir, aliviar, e, principalmente, converter e conduzir a Deus”.

O dom de si a Deus é como o “fiat” (faça-se) de Nossa Senhora, da Anunciação do Anjo ao Calvário, sem nada perguntar, nada exigir e nada reclamar, apenas obedecer. É o abandono completo a todos os desígnios da Providência divina que nos leva para o melhor e mais rápido caminho da santificação.

Poder mergulhar a todo instante no oceano sem fundo da Divindade.

É selar com Deus um pacto eterno, ceder-lhe todo o coração para possuir totalmente o Seu Coração.

Leia também: O que é a graça?

As misericórdias de Deus são de sempre e para sempre

Uma graça sempre ao nosso alcance

É preciso ter fome e sede de Deus!

Deus nos quer por inteiros

Basta voltarmo-nos para Deus a cada momento, por um ato de amor, e oferecer-lhe o ser que Dele recebemos.

O dom de si a Deus é reconhecer com amor e gratidão o Seu soberano domínio e poder sobre mim.

É pousar a vida no seio de Deus; abandonar-se em Seus braços como a criancinha nos braços do Pai, ou como a criança que é levada pelas mãos da mãe.

É entender que Deus é o principio e o fim único de todas as criaturas e de cada uma em particular. Cada uma delas tem a sua razão de ser, pois tem um Criador. Ele é o “Alfa e o Ômega, Princípio e o Fim” (Ap 1,8).

Todos os seres criados cumprem fielmente e infalivelmente o destino que Deus lhes marcar. São assim os seres irracionais. Só o homem recebeu de Deus o maravilhoso privilégio de alcançar o seu fim pela livre escolha da sua vontade.

Jesus é o Senhor da história. Os acontecimentos ocorridos na história aconteceram porque Deus permitiu e foi dirigido para um fim. Os homens são instrumentos inconscientes do divino Mestre.

Senhor, sois o meu fim último, o termo de toda a minha existência. Entrego-me a Vós por um ato livre da minha vontade; quero renovar este ato tantas vezes quantas me concederdes a graça de fazê-lo.

Santo Agostinho disse que “Em Deus residem as causas de tudo o que acontece, as imutáveis origens de todas as coisas mutáveis e as razões eternas de todas as coisas temporais” (Confissões I, V).

Deus sabe o caminho para me levar à santidade. Ele conhece o meu pobre coração, as minhas paixões desordenadas, as minhas lutas e fraquezas, as minhas vitórias e a infinita paciência que teria de ter para comigo.

o_dom_de_siQue alegria saber, que eu, pobre e débil criatura, ocupo o pensamento de Deus. Ele reserva para si o cuidado de me santificar; traçar o caminho e me conduz por Sua mão.

Não me compete perguntar-lhe as razões da Sua conduta para comigo. Não devo questionar-lhe porque me criou assim com essas aptidões e incapacidades, com essas paixões e inspirações. São os Seus eternos desígnios sobre mim. De nada devo pedir-lhe contas.

O destino que o Senhor concebeu para cada alma é lhe mostrado no decorrer da vida. Deus nos diz: “Adora e aceita” (Eclo 2). A alma deve responder-lhe: “Aceito, amo e abandono-me à Vossa ação”. O que me cumpre fazer é seguir-Vos passo a passo na estrada da vida, com a criança agarrada à mão de sua mãe. Sei que tudo o que vem de Vós para mim é bom, porque tudo foi previsto e regulado pela Vossa amável Providência!

Prof. Felipe Aquino

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.