Sede de ganho e poder nos dividiu, diz o papa Francisco aos ortodoxos gregos

O site ACI Digital publicou no último sábado (04/12/2021) a seguinte notícia:

“Venenos mundanos nos contaminaram, as ervas daninhas da suspeita aumentaram a distância e deixamos de cultivar a comunhão”, disse o papa Francisco hoje, 4 de dezembro, na sede da arquidiocese ortodoxo de Atenas, Grécia, no encontro com o patriarca, Sua Beatitude Ieronymos II.

Em seu discurso, o Papa disse: “Com vergonha reconheço pela Igreja Católica, ações e escolhas que pouco ou nada têm a ver com Jesus e com o Evangelho, mas marcadas por uma sede de ganho e de poder, fizeram definhar a comunhão. Permitimos que a fertilidade fosse comprometida por divisões. A história tem o seu peso e hoje sinto aqui a necessidade de renovar o pedido de perdão a Deus e aos irmãos pelos erros cometidos por tantos católicos. Porém, a certeza de que nossas raízes são apostólicas e de que, apesar das distorções do tempo, a planta de Deus cresce e frutifica no mesmo Espírito, nos conforta muito”.

“Não tenhamos então medo”, segue o papa, “mas ajudemo-nos uns aos outros a adorar a Deus e a servir ao próximo, sem fazer proselitismo e respeitar plenamente a liberdade dos outros” e “invoquemos o Espírito de comunhão , para que nos impulsione nos seus caminhos e ajude a fundar a comunhão não nos cálculos, nas estratégias e nas conveniências, mas no único modelo a olhar: a Santíssima Trindade ”.

Francisco falou da «fecunda colaboração no campo cultural entre a Apostolikí Diakonía da Igreja da Grécia – cujos representantes tive a alegria de encontrar em 2019 – e o Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, como também a importância dos simpósios inter-cristãos, promovidos pela Faculdade de Teologia Ortodoxa da Universidade de Tessalônica junto com a Pontifícia Universidade Antonianum de Roma. São ocasiões que permitiram estabelecer relações cordiais e iniciar intercâmbios úteis entre acadêmicos de nossas confissões. Agradeço também a participação ativa da Igreja Ortodoxa da Grécia na Comissão Conjunta Internacional para o Diálogo Teológico. Que o Espírito nos ajude a prosseguir com sabedoria por estes caminhos!”

As propostas concretas do papa são desenvolver “juntos formas de cooperação na caridade, vamos abrir e colaborar nas questões éticas e sociais para servir as pessoas do nosso tempo e levar-lhes a consolação do Evangelho” e para “trazer a consolação de Deus e curar nossos relacionamentos feridos, precisamos orar uns pelos outros”.

Por fim, Francisco fez uma referência à sinodalidade: “Acabamos de iniciar, como católicos, um itinerário para aprofundar a sinodalidade e sentimos que temos muito a aprender convosco. Desejâmo-lo sinceramente, certos de que, quando os irmãos na fé se aproximam, desce aos corações a consolação do Espírito ”.

Sua Beatitude Ieronymos II, arcebispo de Atenas e de toda a Grécia e primaz da Igreja Autocéfala Ortodoxa da Grécia, nasceu em Oinofyta, Beócia, em 1938 em uma família de etnia albanesa.

Arqueólogo de formação, foi ordenado diácono e depois sacerdote em 1967, abandonando a carreira acadêmica. Suas iniciativas no campo social também são numerosas. Em 16 de abril de 2016, ele visitou o acampamento de Mórias na ilha de Lesbos junto com o papa Francisco e o patriarca ecumênico Bartolomeu para aumentar a consciência pública sobre o problema dos refugiados. Os três líderes cristãos assinaram uma declaração conjunta. Além de exercer seu ministério pastoral, continuou suas pesquisas sobre a arqueologia cristã com a publicação de livros e numerosos artigos e estudos sobre temas teológicos, sociais e históricos.

Na Sala do Trono da Arquidiocese, onde foi a reunião, está exposto o livro do Evangelho e, antes de se sentar, o arcebispo e o papa o beijaram.

Ieronymos II, em sua saudação, destacou a pandemia: “é necessário que todos nós, líderes cristãos, testemunhemos juntos o que o mundo precisa neste momento” e sublinhou: “a pandemia que nos atingiu não compromete a fé tanto quanto a própria vida do homem”.

Depois, tratou do drama dos refugiados: “Juntos teremos que mover as montanhas, as paredes e a intransigência dos poderosos da terra. Palavras bonitas não são mais suficientes “.

O arcebispo também falou sobre os problemas ambientais, e disse ao papa: “A Igreja de Atenas e todas as suas instituições estarão à sua disposição”. E mais uma vez ele destaca a ameaça da tecnologia digital e, no final, acrescenta que “o caminho comum da Igreja Católica Romana e da Igreja Ortodoxa no primeiro milênio do Cristianismo realmente tem muito a nos ensinar”.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/sede-de-ganho-e-poder-nos-dividiu-diz-o-papa-francisco-aos-ortodoxos-gregos-88620

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.