São compatíveis o carma e a fé católica? Este Bispo oferece uma clara explicação

Segundo o ACI (15/09/2017), o Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Los Angeles, nos Estados Unidos, Dom Robert Barron, explicou os motivos pelos quais o “carma” não é compatível com a fé católica, pois nega algumas verdades essenciais da fé cristã.

Em seu blog, Word on Fire, Dom Robert Barron explicou que o “carma” é um elemento das religiões orientais, como o hinduísmo e o budismo, que considera que, “por uma lei espiritual cósmica, somos castigados ou recompensados ??de acordo com as nossas atividades morais”.

“Se fizermos coisas ruins, sofreremos, nesta vida ou na que virá. E se fizermos coisas boas, seremos recompensados ??aqui ou mais adiante. O carma não é necessariamente imediato, ao contrário da lei da gravidade”, mas “a longo do tempo as pessoas são recompensadas ou castigadas de acordo com os seus méritos. E isso satisfaz o nosso senso de equidade e justiça”, indicou.

Em vez disso, continuou o Prelado, a Igreja Católica ensina que “todas as pessoas são pecadoras e, portanto, merecem o castigo, mas Deus, em sinal de generosidade, lhes dá o que não merecem”.

Para explicar o que é esta “graça” dada por Deus, o Prelado citou como exemplo a parábola do Filho Pródigo, que conta a história de um filho que desperdiçou a sua herança em uma vida libertina e quando regressou arrependido à casa do seu pai, ele o perdoou, recebeu-o com alegria e fez uma festa em sua homenagem com o melhor bezerro.

Dom Robert Barron afirmou que Deus concede a sua graça como “um presente”, mas, quando a pessoa a guarda de maneira egoísta, esse dom “se converte em cinzas”. Em vez disso, “quando entrega essa graça, ela se renova em você”.

“Se a graça surpreendente salvou um miserável como eu, tenho que ser um canal de graça para cada alma perdida que me rodeia”, destacou o Prelado.

O Bispo Auxiliar de Los Angeles indicou que na Bíblia há duas passagens que demonstram como Deus concede a oportunidade de redenção a todos os pecadores sem excluir ninguém, ao contrário do carma.

O Prelado assinalou que, apesar de a Bíblia assinalar que Israel é “o povo escolhido”, em Isaías 56,6-7 lê-se que “os filhos dos estrangeiros, que se unirem ao Senhor, para o servirem, e para amarem o nome do Senhor, e para serem seus servos, todos os que guardarem o sábado, não o profanando, e os que abraçarem a minha aliança, os levarei ao meu santo monte, e os alegrarei na minha casa de oração”.

Indicou que em Mateus 15,21-28, uma mulher cananeia procura Jesus para pedir que liberte a sua filha de um demônio, mas ele se recusa dizendo que só veio para apascentar as ovelhas da casa de Israel. Inclusive diz: “Não convém jogar aos cachorrinhos o pão dos filhos”.

E ela disse: “Certamente, Senhor, mas os cachorrinhos ao menos comem as migalhas que caem da mesa dos seus donos”.

Jesus se surpreende com a sua fé e lhe dá o que ela pediu. Assim, o Prelado explicou que “a mesa da graça foi colocada para os filhos de Israel, mas a comida desta mesa não estava destinada somente aos israelitas, mas para todos os que viessem. Israel foi escolhido, sim, mas pelo bem do mundo”.

Nesse sentido, Dom Barron manifestou que é uma graça de Deus que “não estejamos vivendo sob a dispensação do carma. Quem entre nós seria capaz de resistir aos fortes ventos da justiça pura?”.

“Os devotos de uma religião de graça devemos saber que o dom não é somente para nós, mas a generosidade de Deus é destinada a despertar em nós uma generosidade como esta”, expressou.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/sao-compativeis-o-carma-e-a-fe-catolica-este-bispo-oferece-uma-clara-explicacao-45099/

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.