Quando devo montar a Árvore de Natal?

Veja o que diz a tradição cristã
Hoje ela é rodeada de presentes, e majestosamente enfeitada com bolas e guirlandas luminosas. Mas nem sempre foi assim. Antigamente, a árvore de Natal era decorada com frutas, flores e doces.
A tradição surgiu na França do século XVI, quando só havia permissão para cortar árvores a partir do dia 21 de dezembro. As pessoas, então, deixavam as árvores em suas casas até 24 de dezembro.

Depois, a tradição foi mudando. Atualmente, algumas pessoas montam a decoração uma ou duas semanas antes do Natal para conservá-la bem até a noite natalina. Mas há também os que seguem a tradição cristã e tomam o calendário do Advento como referência.

Leia também: Bênção da Árvore de Natal em família

O que a Árvore de Natal simboliza?

Por que colocamos uma estrela no topo da árvore de Natal?

No começo do Advento

Segundo a tradição cristã, é costume decorar a árvore de Natal a partir do primeiro domingo do Advento (que em 2019 cai no dia 1 de dezembro) e desmontá-la na Epifania, que é celebrada em 6 de janeiro.

Realmente, se a árvore está lá para decorar e dar um ar mais caloroso ao interior da casa, tem tudo a ver permanecer lá para acompanhar este período de espera pelo nascimento de Cristo.

Já a tradição ortodoxa diz que a árvore deve ser preparada no dia 6 de dezembro – dia de São Nicolau.

 

Fontehttps://pt.aleteia.org/2018/11/09/quando-devo-montar-a-arvore-de-natal-2/

 

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.