Qual é a melhor maneira de receber a Comunhão?

Pe. Samuel Bonilla, conhecido nas redes sociais como “Padre Sam”, respondeu às preocupações que surgem no momento de receber a Comunhão.

“Posso recebê-la de pé, de joelhos, nas mãos, na boca, posso receber a comunhão duas vezes?”, são dúvidas frequentes que o Padre Sam esclareceu em seu canal do YouTube.

O sacerdote nascido em El Salvador tomou como referência a instrução “Redemptionis Sacramentum”, assinada em 2004 pelo Cardeal Francis Arinze, então Prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

“Primeiramente, deve-se dizer que para recebê-la, deve ser durante a celebração da Eucaristia, a não ser que seja por motivos graves”, como é o caso de uma pessoa doente, explicou Padre Sam.

Como segundo ponto, o sacerdote disse que, “para receber a Eucaristia, devo estar confessado e não ter cometido pecados graves”.

Leia também: Comungar de joelhos ou em pé?

Por que não se dá mais a Comunhão nas duas espécies?

Com que disposições devemos comungar?

A Comunhão Eucarística na Mão

O Valor da Santa Comunhão

De pé ou ajoelhado?

“As duas formas são válidas, como você preferir, de pé ou de joelhos. Antes do Concílio Vaticano II, só se comungava de joelhos”, mas depois da reforma litúrgica, ambas as formas são válidas, disse Padre Sam.

De acordo com o parágrafo 91 da ‘Redemptionis Sacramentum’, “não é lícito negar a Sagrada Comunhão a um fiel, por exemplo, apenas por querer receber a Eucaristia ajoelhado ou de pé”, indicou o sacerdote.

Receber a Comunhão na boca ou na mão?

Padre Sam leu o parágrafo 92 do documento do Vaticano, que diz que “todo fiel tem sempre direito a escolher se deseja receber a sagrada Comunhão na boca ou se, o que vai comungar, quer receber na mão o Sacramento. Nos lugares aonde Conferência de Bispos o haja permitido, com a confirmação da Sé apostólica, deve-se lhe administrar a sagrada hóstia”.

“Sem dúvida, ponha-se especial cuidado em que o comungante consuma imediatamente a hóstia, na frente do ministro, e ninguém se desloque (retorne) tendo na mão as espécies eucarísticas. Se existe perigo de profanação, não se distribua aos fiéis a Comunhão na mão”, adverte o texto.

Padre Sam indicou que muitas pessoas se perguntam se podem “mastigar” a Eucaristia. Ele explicou que “não há problema, pode inclusive esperar que se dissolva”.

Depois de comungar, “de preferência, vá para o lugar onde estava sentado e ali, de joelhos ou sentado, agradeça a Deus, porque lhe deu a oportunidade de receber a comunhão. Não é necessário ir ao Santíssimo Sacramento já que você mesmo é um Sacrário vivo nesse momento. No próprio corpo carrega o Corpo de Cristo”, assegurou Padre Sam.

Posso comungar mais de uma vez durante o dia?

Padre Sam respondeu a esta preocupação, citando o numeral 95 da instrução ‘Redemptionis Sacramentum’, que afirma que “o fiel leigo que já tendo recebido a Santíssima Eucaristia, pode receber outra vez no mesmo dia somente dentro da celebração eucarística na qual participe”.

No final do seu vídeo, o sacerdote lembrou que a Eucaristia, o Corpo e Sangue de Jesus, “é o presente mais precioso que temos, portanto, devemos fazê-lo da melhor maneira”.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/qual-e-a-melhor-maneira-de-receber-a-comunhao-86232

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.