Petição online pede a instituição da memória do Castíssimo Coração de São José

Segundo o ACI Digital (20/06/2024), uma petição online em cinco idiomas, que já conta com 12 mil assinaturas desde que foi lançada no início de junho, pede a instituição da memória litúrgica do Castíssimo Coração de São José, que ainda não existe no calendário romano da Igreja. “Penso que essa petição não é apenas para uma assinatura, ela é para honrar o nome de são José”, disse à ACI Digital a cardiologista Kátia Lucena, de Natal (RN), que encabeça a iniciativa. “O coração de são José é ardente de amor por nós também, como o de Jesus e de Maria. Esses três corações vão nos trazer muitas graças”, completou.

Kátia contou à ACI Digital que tudo começou depois que fez sua consagração a Nossa Senhora, em 2020. Na época descobriu que havia o livro Consagração a São José: As Glórias de Nosso Pai Espiritual, de Donald H. Calloway, mas que ainda não havia chegado ao Brasil. “Comecei a rezar para que esse livro fosse traduzido ao português, porque queria também me consagrar a são José”, disse. O lançamento do livro no Brasil aconteceu em 2021.

O próprio livro fala sobre a devoção ao coração de são José e destaca que ainda não há uma festa litúrgica dedicada a ele.

“No catolicismo, quando falamos sobre a devoção ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, referimo-nos essencialmente à pessoalidade de Jesus e Maria. Amamos estes corações – e frequentemente os representamos de maneira artística – porque amamos as pessoas de Jesus e Maria. Enquanto a devoção a eles é bem-estabelecida na Igreja, sendo que para cada um é celebrada uma festa litúrgica, a devoção ao coração de são José ainda não foi completamente desenvolvida. Talvez um dia venha a existir uma festa litúrgica em honra ao coração de são José, mas apenas Deus sabe o futuro. Independentemente de isso acontecer ou não, toda criação deseja um pai cujo coração – ou seja, cuja pessoa – seja forte, protetor e gentil. São José tem este mesmo coração. Ele tem o coração de um pai, um rei, um guerreiro e um casto cavalheiro. Seu coração casto bate de amor por nós”, diz o livro Consagração a São José: As Glórias de Nosso Pai Espiritual.

Depois de ter acesso ao livro, Kátia, seu marido e outras seis pessoas fizeram a consagração a são José e, logo em seguida, surgiram convites para acompanhar outros grupos que também queriam se consagrar, em várias paróquias. “Fizemos na catedral de Natal com 250 pessoas. Acabou sendo forte nosso apostolado a são José aqui em Natal”, disse.

Uma carta ao papa e uma petição online

Em um dos grupos de consagração a são José surgiu, em 2022, a inspiração para pedir ao papa a instituição da memória do Castíssimo Coração de São José. “Em um dos últimos dias, a leitura era sobre a proclamação de são José como patrono da Igreja, que foi em 1870, e o papa Pio IX recebeu muitas cartas e uma carta de um beato chamado João José Lataste que ofereceu a vida por essa proclamação e morreu um ano e meio antes” da proclamação. Assim, Kátia teve a “inspiração” de também escrever para o papa pedindo a instituição da memória do Castíssimo Coração de São José.

A carta foi enviada ao papa Francisco junto com um são José de crochê e entregue pelo então arcebispo de Natal, dom Jaime Vieira Rocha, durante visita ad limina, em maio de 2022. “Depois, eu recebi uma resposta que acolhia o meu desejo de devoção a são José, mas não falava nada a respeito da memória” do Castíssimo Coração, disse.

Kátia ressaltou que tudo “foi feito de modo particular, em silêncio, sem divulgação, porque são José sempre foi assim”. Desde então, ela mantém em seu coração a devoção ao Coração de São José.

Tempos depois, ao conversar com um amigo também devoto do santo custódio, ele lhe deu a ideia de fazer um abaixo-assinado. “Eu achei a ideia muito boa e pensei, vamos fazer uma lista e sair pegando assinatura. Mas, quando foi à noite, veio uma inspiração que digo que foi de são José, porque jamais partiria de mim que não sou muito de mídia, para fazer online e em várias línguas, que dava a entender que era algo mundial”. Mesmo depois dessa inspiração, Kátia a manteve em seu coração.

Além de devota a são José, Kátia faz parte do Apostolado Mãe dos Sacerdotes, fundado em 2021 por padre Fábio Vanderlei, do Instituto do Verbo Encarnado (IVE), que reúne mulheres que rezam pela santificação dos padres. O padre Fábio também fundou o Apostolado Filhos de São José, voltado sobretudo para homens, a fim de promover o culto e devoção a são José.

Em fevereiro deste ano, contou Kátia, ela foi convidada por padre Fábio Vanderlei para fazer uma live sobre são José para o Apostolado Mãe dos Sacerdotes. “Depois que terminou, ficamos conversando nos bastidores e eu senti que era para partilhar aquela inspiração, que só tinha partilhado com meu esposo”, contou a cardiologista. “Ele acolheu e achou que a inspiração era verdadeira. Pediu para eu fazer um roteiro e ver o que ia dar. Fiz o roteiro, passei para ele e começou a caminhada, mas algo restrito, em silêncio”.

O padre Fábio Vanderlei disse à ACI Digital que o projeto da petição lhe “pareceu muito digno e ajustado à grandeza e à devoção do santo”.

“Trata-se de uma petição e de apoio totalmente condicionados e submissos a autoridade da Santa Igreja. Sabemos da prudência característica com a qual a Igreja trata situações como esta e também dos desafios que grandes devoções tiveram para que fossem aprovadas e vividas oficialmente pelos fiéis”, ressaltou.

A petição encabeçada por Kátia Lucena tem o apoio dos apostolados Mãe dos Sacerdotes e Filhos de São José. A cardiologista contou que tiveram “dificuldade com o site” e, foi então “que se juntou a nós o aplicativo católico Pocket Terço”.

A petição sugere que a memória do Castíssimo Coração de São José seja celebrada na quarta-feira depois da solenidade do Sagrado Coração de Jesus e da memória do Imaculado Coração de Maria. O padre Fábio Vanderlei disse que, “caso a Santa Igreja se manifeste favorável”, a proposta dessa data é “justamente para manifestar a vínculo indissolúvel desses três corações que formaram a Sagrada Família e que estiveram intimamente unidos no mistério da redenção do gênero humano: coração de filho obediente, coração de mãe solícita e coração de pai providente”. Além disso, “a quarta-feira também é tradicionalmente o dia de devoção a são José”.

A petição, disponível em português, inglês, espanhol, italiano, francês e alemão, conta com apoio do arcebispo de Natal, dom João Santos Cardoso, e diversos padres.

O padre Fábio Vanderlei disse que não há uma meta nem um prazo para a petição. “Pode ser algo que pode demorar um, dois anos, mas também muito mais tempo. Não é nem o número nem o prazo que vai determinar a eficácia dessa petição. Estamos nos colocando a serviço, entendendo que estamos fazendo algo muito especial. Mas, a Igreja, a qualquer momento, inclusive antes que tenhamos elevado um grande número de assinaturas, pode se posicionar ou a favor ou contra. Então, está tudo dentro dessa submissão filial”, disse.

O que o Castíssimo Coração de São José tem a ensinar

Para o padre Fábio Vanderlei, o “Castíssimo Coração de São José tem a nos ensinar nos dias de hoje tudo o que a Igreja precisa para superar a grande prova final, que abalará a fé de numerosos crentes”. “São José colaborou com a obra da redenção prestando sua pessoa e seus serviços à Cristo, Cabeça do Corpo Místico, e à Maria, Mãe da Igreja, e agora, queremos acolhê-lo como um pai amoroso que nos ajuda, ajuda e protege a Igreja no cumprimento de sua missão salvífica”, disse.

Segundo o sacerdote, “a salvação do mundo depende da vivência do mandamento do amor” e “o coração de são José é manifestação do mais puro amor a Jesus e Santíssima Virgem”. “Na virtude da caridade, como em todas as outras virtudes, são José foi o coração mais pleno depois de Jesus e de Maria, pois do filho de Deus foi pai virginal e da Mãe de Deus foi esposo castíssimo”, disse.

Além disso, citou que “a castidade tão esquecida e atacada nos dias de hoje é a virtude que mais manifesta a pureza do amor e, nessa matéria, José foi simplesmente pleno”.

Para o padre, a devoção ao Castíssimo Coração de São José também ensina “a amar e se unir ainda mais ao Coração de Jesus e de Maria”, a “engrandecer a Sagrada família” e a “amar e defender o matrimônio e a família, que sofrem o maior e último ataque do mal”.

Por fim, Kátia Lucena pediu que “confiássemos sempre no coração de são José, que viveu na terra uma entrega total a Jesus”.

Para assinar a petição pela instituição da memória litúrgica do Castíssimo Coração de São José, basta acessar o site corjoseph.org.

Mais informações sobre a iniciativa podem ser conferidas no Instagram @castissimocoracaodesaojose.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticia/58320/peticao-online-pede-a-instituicao-da-memoria-do-castissimo-coracao-de-sao-jose

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.