Papa Francisco no Ângelus: “Sua fé está cansada e você quer revigorá-la?”

Segundo o site ACI Digital (10/10/2021), o papa Francisco ofereceu alguns conselhos aos católicos que sentem que sua fé está “cansada” e desejam revigorá-la em seu discurso prévio à oração do Ângelus deste domingo, 10 de outubro.

Em seu discurso prévio à oração do Ângelus de 10 de outubro, o papa falou que a renovação pessoal deve ser um processo em três etapas.

“Sua fé, minha fé, está cansada, e queremos revigorá-la? Procure o olhar de Deus: sente-se em adoração, permita-se ser perdoado na Confissão, fique diante do Crucificado. Em suma, deixe-se amar por Ele”, disse o papa.

“Este é o começo da fé: deixai-vos amar por Ele, que é Pai”.

O Papa ofereceu este conselho enquanto refletia sobre a leitura do Evangelho do dia, em que Jesus exorta o jovem rico: “Vai, vende o que tens, e dá aos pobres … depois vem, segue-me”.

No balcão virado para a Praça de São Pedro, o papa disse aos presentes que todos podemos nos ver refletidos no jovem rico porque ele não foi nomeado no Evangelho.

Ele disse: “O jovem começa com uma pergunta: ‘O que devo fazer para herdar a vida eterna?”. Note os verbos que ele usa: ‘deve fazer’, ‘herdar’. Aqui está sua religiosidade: um dever, um fazer para obter; ‘faço algo para obter o que preciso'”.

“Mas esta é uma relação comercial com Deus, um quid pro quo”. A fé, no entanto, não é um frio, um ritual mecânico, um fazer uma coisa em troca de outra. É uma questão de liberdade e amor”.

O papa, que havia celebrado há pouco a missa de inauguração do processo de dois anos que levou ao sínodo sobre sinodalidade, pediu a seus ouvintes que considerassem se sua fé era principalmente uma questão de dever ou uma espécie de “moeda de troca”.

“A primeira coisa a fazer é libertar-nos de uma fé comercial e mecânica, que insinua a falsa imagem de um Deus contábil e controlador, não de um pai”, disse.

“Jesus, no segundo passo, ajuda este homem, oferecendo-lhe a verdadeira face de Deus”. De fato, o texto diz: “Jesus olhando para ele, amou-o”: isto é Deus!”, acrescentou.

“É aqui que nasce e renasce a fé: não de um dever, não de algo que deve ser feito ou pago, mas de um olhar de amor a ser acolhido”. Desta forma, a vida cristã se torna bela, se for baseada não em nossas capacidades e em nossos planos, mas no olhar de Deus”.

O papa disse que na terceira e última etapa, Jesus convidou o jovem a dar generosamente de si mesmo aos outros.

“Talvez seja também o que estamos perdendo”. Muitas vezes, fazemos o mínimo possível, enquanto Jesus nos convida a fazer o máximo possível”, comentou ele.

“Quantas vezes ficamos satisfeitos por cumprir nossos deveres – os preceitos, algumas orações, etc. – enquanto Deus, que nos dá a vida, nos pede o impulso da vida”!

Concluindo sua meditação, o papa disse: “Uma fé sem dar, sem obras de caridade, no final nos entristece: assim como aquele homem cujo ‘rosto caiu’ e voltou para casa ‘triste,’ apesar de ter sido olhado com amor por Jesus em pessoa”.

“Hoje podemos nos perguntar”: Em que ponto está minha fé? Será que eu a sinto como algo mecânico, como uma relação de dever ou interesse para com Deus? Será que me lembro de alimentá-la, deixando-me olhar e ser amado por Jesus? … E, atraído por Ele, respondo livremente, com generosidade, com todo o meu coração”?

Depois de rezar ao Angelus, o Papa Francisco saudou duas beatificações que aconteceram neste fim de semana.

Ele disse: “Ontem, em Nápoles, Maria Lorenza Longo, esposa e mãe de família do século XVI, foi beatificada. Viúva, ela fundou em Nápoles o Hospital dos Incuráveis e das Clarissas Capuchinhas”.

“Uma mulher de grande fé e intensa vida de oração, ela fez tudo o que podia pelas necessidades dos pobres e dos que sofrem”.

Ele acrescentou: “Hoje, em Tropea, Calábria, o padre Francesco Mottola, fundador dos Oblatos do Sagrado Coração, falecido em 1969, foi beatificado”.

“Pastor zeloso e incansável anunciador do Evangelho, ele foi um testemunho exemplar de um sacerdócio vivido na caridade e na contemplação”.

Depois de pedir uma salva de palmas para os novos beatos, o papa observou que o dia 10 de outubro é o Dia Mundial da Saúde Mental, marcado pela Santa Sé com uma mensagem do Cardeal Peter Turkson, prefeito do Dicastério para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral.

O papa reconheceu aqueles que sofrem de problemas de saúde mental, assim como as vítimas de suicídio, inclusive os jovens.

“Oremos por eles e suas famílias, para que não sejam deixados sozinhos ou discriminados, mas acolhidos e apoiados”, disse.

Ao saudar os peregrinos na praça, ele apontou uma grande imagem de Madre Maria Bernardetta da Imaculada, uma professora irmã das Irmãs Pobres de São José, sustentada por visitantes de sua terra natal, Montella, no sul da Itália.

Ela passou um tempo na capital argentina, Buenos Aires, e foi amiga do papa Francisco, que foi sacerdote e bispo nesta cidade, entre os anos de 1979 até a morte dela em 2001. O Vaticano anunciou a abertura de sua causa em 2019.

“Rezemos por sua pronta canonização”, disse o papa, concluindo seu discurso do Ângelus dominical.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-no-angelus-sua-fe-esta-cansada-e-voce-quer-revigora-la-96542

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.