Papa Francisco explica que Deus é alegria e não tédio

Segundo o ACI (15/08/2019), o Papa Francisco explicou que “Deus é alegria, não tédio”. O Santo Padre pronunciou estas palavras antes da oração do Ângelus desta quinta-feira, 15 de agosto, Solenidade da Assunção de Maria, festa no Vaticano e em muitos países no mundo, mas que no Brasil é celebrada no próximo domingo.

“Sim, porque Deus é alegria, não tédio. Deixemo-nos que Nossa Senhora nos pegue pela mão. Toda vez que pegamos o Terço e rezamos, damos um passo adiante rumo à grande meta da vida”, encorajou o Pontífice.

Como é tradição, todo dia 15 de agosto o Santo Padre dirige a oração do Ângelus nesta importante festa mariana para a Igreja Universal. Em primeiro lugar, o Papa Francisco refletiu sobre a narração bíblica do Evangelho de São Lucas de hoje, “Solenidade da Assunção de Maria Santíssima, a Virgem Santa”, na qual a Mãe de Jesus Cristo reza dizendo: “Minha alma engrandece ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador”. Por isso, o Papa convidou a meditar dois verbos da oração conhecida como “O Magnificat” que são “engrandecer e exultar”.

“Exulta-se quando acontece algo tão belo que não basta se alegrar por dentro, na alma, mas quer se expressar a felicidade com todo o corpo: então se exulta. Maria exulta por Deus”, explicou o Papa.

Assim, o Pontífice parou para comentar: “Quiçá se também a nós aconteceu de exultar pelo Senhor: exultamos pelo resultado obtido, por uma bela notícia recebida, mas hoje Maria nos ensina a exultar em Deus, porque Ele faz ‘grandes coisas’”.

E, deste modo, o Santo Padre acrescentou que essas “grandes coisas” são as que introduzem o outro verbo citado: “Engrandecer” (Magnificar). De fato, magnificar significa exaltar uma realidade pela sua grandeza, pela sua beleza… e acrescentou: “Maria exalta a grandeza do Senhor, louva-o dizendo que Ele é realmente grande”.

Se queremos ser felizes em nossa vida

“Na vida, é importante buscar coisas grandes, do contrário, nos perdemos em muitas pequenezas. Maria nos demonstra que, se quisermos que a nossa vida seja feliz, Deus deve ser colocado em primeiro lugar, porque somente Ele é grande. Quantas vezes, ao invés, vivemos buscando coisas de pouco valor: preconceitos, rancores, rivalidades, invejas, ilusões, bens materiais supérfluos… Quantas mesquinhezes na vida!”, advertiu Francisco.

Por isso, o Santo Padre assegurou que “Maria hoje convida a elevar o olhar para as ‘grandes coisas’ que o Senhor realizou Nela”. E estas são as grandes coisas que a Igreja Universal celebra hoje: “Maria foi assumida no céu: pequena e humilde, recebe por primeiro a glória maior”.

“Ela, que é uma criatura humana, uma de nós, alcança a eternidade em alma e corpo. E ali nos espera, como uma mãe espera que os filhos voltem para casa. Na verdade, o povo de Deus a invoca como ‘porta do céu’. Nós estamos em caminho, peregrinos rumo à casa lá em cima”, disse.

Mensagem da Festa da Assunção

Nesse sentido, o Papa explicou que a Assunção da Virgem Maria “é um chamado para todos, especialmente para aqueles que são afligidos por dúvidas e tristezas, e vivem com o olhar cabisbaixo”, por isso, animou a sempre olhar para o alto.

“Olhemos para o alto, o céu está aberto. Não provoca temor, não é mais distante, porque no limiar do céu há uma mãe que nos espera. Ela é a rainha do céu e ela é nossa mãe. Ela nos ama, sorri para nós e nos ajuda com cuidado. Como toda mãe, quer o melhor para os seus filhos e nos diz: Vocês são preciosos aos olhos de Deus; não são feitos para os pequenos prazeres do mundo, mas para as grandes alegrias do céu”, afirmou.

Por último, o Papa Francisco convidou a nos deixar atrair pela verdadeira beleza: “não nos deixemos levar pela pequenez da vida, mas escolhamos a grandeza do céu. Que a Santíssima Virgem, Porta do Céu, ajude-nos a olhar com confiança e alegria todos os dias, onde está nosso verdadeiro lar”.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-explica-que-deus-e-alegria-e-nao-tedio-76832

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.