Papa Francisco adverte sobre o pecado “que nos paralisa” e nos tira a coragem

zPapaFranciscoSantaMarta_LOR_270117Segundo o ACI Digital (27/01/2017), durante a homilia da Missa celebrada na Casa Santa Marta na manhã de hoje, o Papa Francisco animou os cristãos a ser corajosos e a confiar em Deus, porque “Deus nos liberta da covardia, esse pecado que nos paralisa, que nos tira a esperança, a coragem, a paciência”.

Esse pecado, advertiu, “nos faz ter medo de tudo” e “nos tira a memória do passo de Deus em nossas vidas”.

O Santo Padre também recordou as palavras da Carta de São Paulo aos Hebreus: “irmãos, lembrai-vos dos primeiros dias”.

“A memória dos dias do entusiasmo, de ir avante na fé. Não se entende a vida cristã sem memória. Não somente não se entende: não se pode viver de modo cristão sem memória. A memória da salvação de Deus na minha vida, a memória dos problemas na minha vida”, assinalou o Pontífice.

“Perguntamo-nos: Como o Senhor me salvou desses problemas? A memória é uma graça: uma graça a ser pedida”, explicou.

O Papa exortou a pedir: “Senhor, que não esqueça o teu passo na minha vida, que não esqueça os bons momentos, inclusive os maus; as alegrias e as cruzes”. “O cristão é um homem de memória”.

Francisco destacou outro aspecto importante presente na Carta aos Hebreus: a esperança.

“A esperança, olhar para o futuro. Assim como não se pode viver uma vida cristã sem a memória dos passos feitos, não se pode viver uma vida cristã sem olhar para o futuro com esperança para o encontro com o Senhor”.

O Santo Padre assinalou: “A vida é um sopro, né? Passa. Quando se é jovem, se pensa que temos tanto tempo pela frente, mas depois a vida nos ensina aquela frase que todos dizemos: ‘Mas como passa o tempo! Eu o conheci quando era criança, e agora está casando! Como passa o tempo!’”.

A Carta aos Hebreus, disse, convida a viver o presente “com coragem e paciência”, embora seja “muitas vezes doloroso e triste”.

Em seguida, o Pontífice explicou que “todos somos pecadores, mas prossigamos com coragem e com paciência. Não fiquemos ali, parados, porque isso não nos fará crescer”.

O Papa advertiu contra o risco de ser muito prudentes: “Não arrisque, por favor, não… prudência. Sim, é verdade, mas isso também paralisa, faz esquecer as muitas graças recebidas, tira a memória, tira a esperança porque não deixa ir”.

Também comparou um cristão com a alma pequena com alguém que está na rua e começa a chover de repente e o vestido não é bom e o tecido encurta: Isso é ter a alma pequena, esta é a covardia, este é o pecado contra a memória, a coragem, a paciência e a esperança”.

“Que o Senhor nos faça crescer na memória, nos faça crescer na esperança, nos dê todos os dias coragem e paciência e nos liberte daquilo que é a covardia, ter medo de tudo… Almas pequenas para se preservar. E Jesus diz: ‘Quem quer preservar a própria vida, a perde’”, concluiu.

Leitura comentada pelo Papa Francisco:

Hebreus 10, 32-39

Irmãos, 32lembrai-vos dos primeiros dias, quando, apenas iluminados, suportastes longas e dolorosas lutas. 33Às vezes, éreis apresentados como espetáculo, debaixo de injúrias e tribulações; outras vezes, vos tornáveis solidários dos que assim eram tratados.

34Com efeito, participastes dos sofrimentos dos prisioneiros e aceitastes com alegria o confisco dos vossos bens, na certeza de possuir uma riqueza melhor e mais durável. 35Não abandoneis, pois, a vossa coragem, que merece grande recompensa.

36De fato, precisais de perseverança para cumprir a vontade de Deus e alcançar o que ele prometeu. 37Porque ainda bem pouco tempo, e aquele que deve vir virá e não tardará. 38O meu justo viverá por causa de sua fidelidade, mas, se esmorecer, não encontrarei mais satisfação nele”. 39Nós não somos desertores, para a perdição. Somos homens da fé, para a salvação da alma.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-adverte-sobre-o-pecado-que-nos-paralisa-e-nos-tira-a-coragem-26164/

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.