Papa Francisco: A defesa da vida não é uma ideologia, é uma realidade

De acordo com o site ACI, o Papa Francisco enfatizou nesta quarta-feira, 25 de março, durante a Audiência Geral realizada na Biblioteca do Palácio Apostólico, que “a defesa da vida, para a Igreja, não é uma ideologia, é uma realidade. Uma realidade humana que compromete todos os cristãos”.

O Papa recordou em sua catequese que “há 25 anos, nesta mesma data de 25 de março, que na Igreja é a festa solene da Anunciação do Senhor, São João Paulo II promulgava a Encíclica Evangelium vitae, sobre o valor e a inviolabilidade da vida humana”.

O Santo Padre explicou que, no Evangelho do dia, que narra a Anunciação e o “sim” de Maria ao projeto de Deus, “a Virgem acolhe a Palavra que se faz carne, e aceita com confiança cuidá-lo. Aceita converter-se na mãe do Filho de Deus. Assim, em Maria, realiza-se o encontro de Deus com o homem”.

Destacou que “o elo entre a Anunciação e o ‘Evangelho da vida’ é íntimo e profundo, como destacou São João Paulo II na Encíclica”.

“Hoje, nos encontramos oferecendo de novo esse ensinamento no contexto de uma pandemia que ameaça a vida humana e a economia mundial”, enfatizou Francisco.

Essa situação “nos faz sentir-nos ainda mais comprometidos com a palavra com a qual começa a Encíclica. É esta: O Evangelho da vida está no coração da mensagem de Jesus. Acolhido pela Igreja cada dia com amor, é anunciada com fidelidade corajosa como boa nova para os homens de toda época e cultura”.

O Papa insistiu que este Evangelho da vida “deve ser anunciado de forma prioritária. E penso com gratidão no testemunho silencioso de tantas pessoas que, de várias maneiras, estão se sacrificando a serviço dos doentes, dos idosos, de quem é só e mais indigente. Colocam em prática o Evangelho da vida, como Maria que, ao acolher o anúncio do anjo, foi ajudar a prima Isabel”.

Enfatizou que “a vida que somos chamados a promover e defender não é um conceito abstrato, mas se manifesta sempre numa pessoa em carne e osso: uma criança recém-nascida, um pobre marginalizado, um doente sozinho e desanimado ou em estado terminal, aquele que perdeu um emprego ou não consegue encontrá-lo, um migrante rejeitado ou segregado”.

“Todo ser humano é chamado por Deus a gozar da plenitude da vida”, lembrou, “e sendo confiado à preocupação materna da Igreja, toda ameaça à dignidade e à vida humanas repercute no coração da Igreja, nas suas ‘vísceras’ maternas”.

Denunciou que “os atentados à dignidade e à vida das pessoas continuam, infelizmente, nesta nossa era, que é a era dos direitos humanos universais; Estamos diante de novas ameaças e nova escravidão, e a legislação nem sempre oferece a proteção da vida humana para os mais fracos e vulneráveis”.

“A mensagem da Encíclica Evangelium vitae, portanto, é mais atual do que nunca. Para além das emergências, como a que vivemos, trata-se de agir no plano cultural e educativo para transmitir às gerações futuras a atitude de solidariedade, do cuidado e do acolhimento, sabendo que a cultura da vida não é patrimônio exclusivo dos cristãos, mas pertence a todos aqueles que, lutando pela construção de relacionamentos fraternos, reconhecem o valor próprio de cada pessoa, mesmo quando são frágeis e sofrem”.

O Papa Francisco concluiu sua catequese repetindo que “toda vida humana, única e irrepetível, constitui um valor inestimável. Isto deve ser anunciado sempre novamente, com a coragem da palavra e a coragem das ações. Isso exige solidariedade e amor fraterno pela grande família humana e por cada um de seus membros”.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-a-defesa-da-vida-nao-e-uma-ideologia-e-uma-realidade-84925

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.