Papa convida a viver o sofrimento com fé em Cristo

Segundo o site ACI, o Papa Francisco convidou os cristãos a interpretar o sofrimento com os olhos da fé em Cristo, assim como São Paulo fazia durante sua “peregrinação de encarcerado”.

O Pontífice se expressou assim durante a catequese que pronunciou nesta quarta-feira, 11 de dezembro, na Audiência Geral realizada na Sala Paulo VI, no Vaticano, na qual explicou o sentido cristão das correntes de São Paulo e, a partir dessa experiência do Apóstolo , o sentido cristão do sofrimento.

“Paulo não é apenas um evangelizador cheio de ardor, missionário intrépido entre os pagãos que dá vida a novas comunidades, mas é também a testemunha sofredora do Ressuscitado”.

No livro de Atos dos Apóstolos, o evangelista Lucas “evidencia a semelhança entre Paulo e Jesus: ambos são odiados por seus adversários, acusados ​​publicamente e reconhecidos inocentes pelas autoridades imperiais”.

De fato, “a chegada do apóstolo em Jerusalém desencadeia um ódio feroz contra ele. Como ocorreu com Jesus, também para ele Jerusalém é a cidade hostil. Tendo ido ao templo, Paulo foi reconhecido e levado para ser linchado. Foi salvo in extremis pelos soldados romanos”.

“Acusado de ensinar contra a Lei e o templo, ele foi preso e começa a sua peregrinação de encarcerado, primeiro diante do Sinédrio, depois diante do procurador romano em Cesareia e, por fim, diante do rei Agripa”.

O Papa destacou como Paulo aproveita os processos contra ele para dar testemunho do Evangelho: “Paulo é chamado a defender-se das acusações e, no final, diante da presença do rei Agripa II, sua apologia se converte em testemunho de fé eficaz”.

“Mesmo quando fala de si mesmo, Paulo anuncia e manifesta o seu Senhor. O verdadeiro missionário, de fato, não é todo centrado em si mesmo, mas é todo direcionado ao Senhor, que é o centro de tudo, especialmente de seu coração”.

Especificamente, “em seu discurso diante do rei, Paulo enfatiza seu íntimo relacionamento com Israel: com os fariseus compartilha a esperança da ressurreição e, como cristão, anuncia que essa ressurreição foi cumprida em Cristo”.

No entanto, o grande testemunho de Paulo durante o processo contra ele é quando narra sua própria conversão: “Cristo ressuscitado fez dele um cristão e confiou-lhe a missão entre as nações”, destacou o Papa.

“O testemunho apaixonado de Paulo toca o coração do rei Agripa”. “Paulo é declarado inocente, mas ele não pode ser libertado porque apelou a César. Assim, continua a viagem irreversível da Palavra de Deus em direção a Roma”.

O Pontífice explicou em sua catequese que, a partir daquele momento, da transferência de Paulo para Roma, o retrato do apóstolo é o do “prisioneiro cujas correntes são sinal de sua fidelidade ao Evangelho e do testemunho dado ao Ressuscitado”.

“As correntes são certamente uma provação humilhante para o apóstolo, que aparece aos olhos do mundo como um ‘malfeitor’. Mas seu amor por Cristo é tão forte que mesmo essas correntes são lidas com os olhos da fé”.

O Papa Francisco encerrou sua catequese enfatizando que “Paulo nos ensina a perseverança na provação e a capacidade de ler tudo com os olhos da fé”.

 

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/papa-convida-a-viver-o-sofrimento-com-fe-em-cristo-90769

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.