Papa afirma que pregar a pobreza não é comunismo: Está no centro do Evangelho

Segundo o site ACI Digital (24/05/2018), durante a Missa celebrada na Casa Santa Marta na manhã de hoje, o Papa Francisco lamentou que se identifique como comunistas os que pregam a “pobreza”, pois “a pobreza está no centro do Evangelho”.

Em sua homilia, exortou a “tomar distância das riquezas, porque estas nos foram oferecidas por Deus para doá-las aos outros”. O Pontífice advertiu contra as riquezas “apodrecidas” e recordou as palavras de Jesus: “Ai de vós ricos!”.

O Santo Padre assegurou que se um sacerdote fizer uma pregação assim, “no dia seguinte nos jornais aparece: ‘Aquele padre é comunista! ’. Entretanto, a pobreza está no centro do Evangelho. A pregação sobre a pobreza está no centro da pregação de Jesus: ‘Bem-aventurados os pobres’ é a primeira das Bem-aventuranças”.

Francisco disse que a pobreza “é a carteira de identidade com a qual Jesus se apresenta quando volta ao seu vilarejo, a Nazaré”. Na sinagoga, anunciou: “O Espírito está sobre mim, fui enviado para anunciar o Evangelho, a Boa Nova aos pobres, o alegre anúncio aos pobres”.

Apesar disso, “na história sempre tivemos esta fraqueza de tentar tirar esta pregação sobre a pobreza, acreditando se tratar de algo social, político. Não! É Evangelho puro, é Evangelho puro”.

Entretanto, o Papa ressaltou que quando Jesus clama contra os ricos, ele se refere àqueles que fizeram das riquezas “uma idolatria”. Jesus indicou que “não se pode servir a dois senhores: ou você serve a Deus ou às riquezas”.

Quando se dá, portanto, uma “categoria de Senhor às riquezas, isto é, a riqueza o pega e não o larga e vai contra o primeiro mandamento: amar a Deus com todo o coração”. Além disso, a idolatria das riquezas também atenta “contra o segundo mandamento, porque destroem a relação harmoniosa entre nós homens: ‘estragamos a vida’, ‘estragamos a alma’”.

Insistiu que as riquezas “nos levam embora a harmonia com os irmãos, o amor ao próximo, nos fazem egoístas”.

“Também aqui, na Itália, para salvar os grandes capitais deixam as pessoas sem trabalho. Vai contra o segundo mandamento e quem faz isto: ‘Ai de vós!’. Não eu, Jesus. Ai de vocês que exploram as pessoas, que exploram o trabalho, que pagam de maneira informal, que não pagam a contribuição para a aposentadoria, que não dão férias. ‘Ai de vós!’”, destacou o Bispo de Roma.

Francisco continuou: “Fazer ‘economias’, fraudar o que se deve pagar, o salário, é pecado, é pecado. ‘Não, padre, eu vou à missa todos os domingos e participo daquela associação católica e sou muito católico e faço a novena disso…’ Mas você não paga? Essa injustiça é pecado mortal. Você não está nas graças de Deus. Não sou eu que estou dizendo, é Jesus, é o apóstolo Tiago. Por isso as riquezas nos afastam do segundo mandamento, do amor ao próximo”.

O Papa ofereceu a Missa pelo “nobre povo chinês”, por ocasião da celebração da festa de Nossa Senhora de Sheshan em Shangai.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/papa-afirma-que-pregar-a-pobreza-nao-e-comunismo-esta-no-centro-do-evangelho-61476

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.