Missa da Ceia do Senhor: Quem acredita na Eucaristia nunca se sente sozinho na vida

“Quem acredita na Eucaristia nunca se sente sozinho na vida”, porque sabe que Cristo o ama e que diante do tabernáculo recebe a força e a paz no coração, disse o Cardeal Giovanni Battista Re durante a Missa da Ceia do Senhor que celebrou nesta Quinta-feira Santa no Altar da Cátedra da Basílica de São Pedro.

Nesta Quinta-feira Santa a Missa da Ceia do Senhor não foi celebrada pelo Papa Francisco, mas pelo decano do Colégio Cardinalício, Cardeal Giovanni Battista Re. Neste ano não se fez o rito do lava-pés por causa das medidas para conter o coronavírus.

A Missa da Ceia do Senhor, com a qual se inicia o Tríduo Pascal, foi concelebrada com outros cardeais e bispos, superiores da Secretaria de Estado e cônegos da basílica vaticana. Um pequeno número de fiéis foi autorizado a participar da Eucaristia, seguindo as regras para evitar infecções por Covid-19.

O cardeal italiano centrou a sua homilia na Eucaristia e na ordem sacerdotal, sacramentos instituídos por Jesus Cristo na Última Ceia, horas antes de ser entregue e crucificado em Jerusalém.

“A Igreja sempre considerou o sacramento da eucaristia como o dom mais precioso com o qual ela foi enriquecida. É o dom pelo qual Cristo caminha conosco como luz, como força, como alimento, como apoio em todos os dias de nossa história”, afirmou.

Neste sentido, recordou que “a Eucaristia é o centro e o coração da vida da Igreja” e deve ser “também o centro e o coração da vida de cada cristão”.

“Quem acredita na Eucaristia nunca se sente sozinho na vida. Ele sabe que na penumbra e no silêncio de todas as igrejas existe Alguém que conhece o seu nome e a sua história, Aquele que o ama, que o espera e que o escuta de boa vontade. Diante do tabernáculo cada um pode confiar o que tem no coração e receber conforto, força e paz de coração”, garantiu.

O Cardeal explicou também que, quando o Concílio Vaticano II afirma que a Eucaristia é a fonte e cume da vida cristã, quer dizer que “na vida e na missão da Igreja tudo provém da Eucaristia e tudo conduz à Eucaristia”.

Sobre a instituição do sacerdócio católico, o cardeal Re recordou o chamado que Cristo, “verdadeiro sacerdote”, fez aos apóstolos para que dessem o sacramento da Eucaristia “em memória de mim”.

Da mesma forma, três dias depois, “na noite de Domingo de Páscoa, ele também disse aos Apóstolos: ‘Recebam o Espírito Santo. Os pecados daqueles que vocês perdoarem, serão perdoados'”.

“Desta forma, Cristo irradiou poderes sacerdotais sobre os Apóstolos, para que a Eucaristia e o Sacramento do Perdão continuassem sendo renovados na Igreja”, afirmou.

O decano do Colégio Cardinalício recordou que nos anos anteriores, após a Missa da Ceia do Senhor, se realizava a tradição de prolongar a adoração da Eucaristia durante a noite “com várias iniciativas de oração de adoração e momentos de grande intensidade religiosa”.

No entanto, “a situação dramática criada pela Covid-19 e o risco de contágio infelizmente não nos permitem fazer isso este ano, como aconteceu no ano passado”.

Em sua homilia, o Cardeal Re também indicou que “a noite que vê a mais alta manifestação de amor e amizade por nós”, com a entrega gratuita do Senhor, “é também a noite da traição” de Judas. “Em torno da mesma mesa no Cenáculo, o amor de Deus e a traição do homem se confrontaram”, assinalou.

A Quinta-feira Santa é, afirmou, “um convite a tomar consciência dos próprios pecados. É um apelo a colocarmos um pouco de ordem na nossa vida e iniciarmos o caminho do arrependimento e da renovação para obter o perdão de Deus”.

“Na Eucaristia, Deus se aproximou de tal maneira a nós que nunca devemos nos sentir abandonados, porque somos sempre buscados por Ele, amados e convidados a obter com o arrependimento e com o sacramento da reconciliação a alegria de seu perdão e a iniciar uma renovação espiritual com o coração mais aberto a Deus e a todos os nossos irmãos e irmãs”, expressou.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/missa-da-ceia-do-senhor-quem-acredita-na-eucaristia-nunca-se-sente-sozinho-na-vida-50391

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.