Menino de 5 anos foi vidente de uma aparição mariana cujo aniversário é celebrado hoje

Hoje, 21 de agosto, é celebrado o 142º aniversário da aparição da Virgem Maria, conhecida como Nossa Senhora de Knock, na Irlanda.

A aparição ocorreu apenas uma vez e foi vista por 15 pessoas, entre elas um menino de 5 anos chamado John Curry, o mais jovem de todos os que presenciaram o acontecimento.

Em seu testemunho perante a primeira comissão de investigação criada em 1879, apenas seis semanas após a aparição, o pequeno John disse que viu belas imagens da Virgem e de São José; e que escutou os outros falarem deles.

Um artigo no Catholic Herald assinala que outro vidente, Patrick Hill, que tinha 11 anos na época, descreveu que John pediu que ele o levantasse para que pudesse “ver os bebês grandes, como ele chamava as imagens”.

Na carta que escreveu à comissão que foi criada anos depois, em 1936, Curry explicou que se lembrava de ter visto São João com um livro e que outra vidente, Brígida Trench, tentou beijar os pés de Nossa Senhora.

Quando compareceu perante os investigadores para explicar o que viu 58 anos antes, Curry explicou que as imagens estavam vivas, mas não falavam e que Nossa Senhora estava vestida de branco.

John Curry e os outros videntes levaram uma vida austera, simples e anônima. Na verdade, em vários dos relatos históricos do aparecimento de 1871, Curry não é mencionado.

Em maio de 2017, na Missa que presidiu na Catedral de São Patrício em Nova York para a transferência dos restos mortais de Curry, o Cardeal norte-americano, Timothy Dolan, descreveu o vidente como “um imigrante que realmente se distinguiu por sua simplicidade, humildade, bondade e misericórdia”.

John Curry mudou-se para Nova York em 1897 aos 25 anos, depois foi para Londres em 1900 e voltou para os Estados Unidos em 1911. Esteve em outras cidades do país e quando sua saúde começou a piorar, mudou-se para Long Island com as Irmãzinhas dos Pobres. Nunca se casou e morreu em 1963 aos 69 anos.

“Como muitos dos videntes, John Curry viveu uma vida tranquila, nunca ressaltando o que experimentou em Knock, a menos lhe pedissem”, comentou Pe. Richard Gibbons, Reitor do Santuário de Nossa Senhora de Knock, na Irlanda, à CNA – agência em inglês do grupo ACI.

“Ajudou na Missa todos os dias até a sua morte e teve uma grande devoção a Nossa Senhora e dizia que ela nunca lhe negou nada do que lhe pediu”, explicou o sacerdote.

A aparição

Em 21 de agosto de 1879, Nossa Senhora, São José, o Cordeiro Pascal e São João Evangelista apareceram envolvidos em uma luz brilhante na Igreja Paroquial de Knock. Quinze pessoas com idades entre 5 e 74 anos foram testemunhas do evento.

A aparição começou por volta das 20h. A Virgem tinha um longo vestido branco. Suas mãos e olhos estavam voltados para o céu como se estivesse rezando.

Em sua cabeça tinha uma coroa brilhante com uma rosa na frente. À direita de Nossa Senhora estava São José, com a cabeça inclinada e ligeiramente virada para ela. Vestia uma túnica branca.

À esquerda da Virgem estava São João Evangelista, vestido como bispo, com um livro na mão esquerda e com a direita levantada como se estivesse pregando.

Junto às figuras e um pouco à direita, no centro, havia um altar grande e simples. No altar havia um cordeiro voltado para o oeste e atrás dele estava uma grande cruz. Os anjos rodeavam o cordeiro durante toda a aparição.

Os quinze videntes presenciaram a aparição por 2 horas enquanto chovia e rezavam o Santo Rosário.

A aparição tem um profundo simbolismo do livro do Apocalipse. O cordeiro é Jesus. A cruz é onde o cordeiro é oferecido ao Pai como sacrifício. O altar da Missa é onde o sacrifício se faz presente.

Junto à Cruz estavam Maria e São João. São José não pôde estar junto à cruz, mas agora no céu a morte já não pode o separar da Sagrada Família e dos benefícios do sacrifício de Jesus.

Apenas seis semanas após a aparição, estabeleceu-se uma comissão de investigação, criada pelo Arcebispo de Tuam, Dom John MacHale. As quinze testemunhas foram examinadas e a comissão informou que o testemunho de todos, tomados juntos, era confiável e satisfatório.

Em 1936, foi criada outra comissão diante da qual os três videntes sobreviventes compareceram: Mary O’Connell (Mary Byrne), Patrick Byrne e John Curry. Todos os três confirmaram suas declarações originais de muitos anos atrás.

Quando a comissão anunciou seu relatório, milhares de doentes foram trazidos para Knock e os jornais locais relataram muitas curas extraordinárias.

Entre os ilustres peregrinos que visitaram o santuário irlandês estão São São João Paulo II e Santa Teresa de Calcutá.

Um milhão e meio de peregrinos o visitam anualmente.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/menino-de-5-anos-foi-vidente-de-uma-aparicao-mariana-cujo-aniversario-e-celebrado-hoje-57686

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.