Judas se salvou depois de trair Jesus? Sacerdote responde

Segundo o ACI Digital (22/04/2019), muitos crentes ao longo da história se perguntaram sobre o destino de Judas Iscariotes, o apóstolo que entregou Jesus às autoridades romanas para ser condenado à morte.

Pe. Samuel Bonilla, conhecido como “Padre Sam”, fez uma reflexão em um vídeo publicado no Youtube sobre o destino deste apóstolo, cuja morte está relatada em duas versões das Sagradas escrituras.

No começo do vídeo, Padre Sam cita Mateus 27,5, que diz: “Ele jogou então no templo as moedas de prata, saiu e foi enforcar-se”; e depois, nos Atos dos Apóstolos 1,18, no qual se indica que Judas morre ao tropeçar. “Esse homem adquirira um campo com o salário de seu crime. Depois, tombando para a frente, arrebentou-se pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram”.

Diante da pergunta sobre se a Misericórdia de Deus poderia ter salvado um Judas arrependido, Padre Sam disse que não se pode “responder com certeza, porque o arrependimento é uma atitude interior” e não existe um sinal na Bíblia que o afirme.

Entretanto, ressaltou que a Misericórdia de Deus é infinita e que, para responder sobre o final de Judas é preciso se apoiar tanto em uma história como em uma revelação privada.

Em primeiro lugar, destaca a revelação privada que Jesus faz a Santa Faustina Kowalska, na qual o Senhor lhe diz: “Se soubessem o destino de Judas, abusariam de minha Misericórdia”.

“(Disse isso) como que para fazer ver que a Misericórdia de Deus é infinita sempre e quando haja arrependimento. Ou seja, se Judas se arrependeu, e isso não sabemos, a Misericórdia de Deus sempre está aberta para aquele que se arrepende”, disse o sacerdote.

A segunda resposta nasce de uma história que se encontra em um dos escritos de Santo Antônio de Pádua.

“Conta que uma mulher idosa, em seu tempo, foi visita-lo muito triste, porque seu filho tinha falecido. Havia se suicidado, havia se jogado de uma ponte em um rio e ali tinha morrido. Naquele tempo, cabe ressaltar que não se permitia a Santa Missa a pessoas que tinham se suicidado”.

“O santo, quando esta senhora lhe pergunta sobre seu filho, sobre como podia rezar por ele, responde: ‘Entre ele e o rio há um espaço e esse espaço é o da Misericórdia de Deus”, relatou Padre Sam.

Nesse sentido, o presbítero disse “que a pessoa que se suicida, por exemplo, nos últimos momentos, quando percebe que está perdendo sua vida, ali há um espaço provavelmente quando se dá conta do valor da vida, é um espaço onde ela está sozinha com Deus e pode ser que nesses momentos se arrependa”.

“Sempre há oportunidade, inclusive no último momento da vida, para alguém que se arrepende de verdade. A Misericórdia de Deus é infinita”, concluiu Padre Sam.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/judas-se-salvou-depois-de-trair-jesus-sacerdote-responde-89020

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.