Islã e conquista da Europa: ideólogo jihadista diz que França é “porta de entrada”

ERIC GAILLARD / AFP
Basílica de Notre Dame em Nice, França

E jovem líder católico afirma: “Atacam a França porque ela é um símbolo: ela é a filha mais velha da Igreja”

De acordo com o site Aleteia, Islã e conquista da Europa: ideólogo jihadista diz que a França é apenas a “porta de entrada”. Trata-se de Abu Mussah Al Suri, influente autor islâmico e ideólogo da “terceira jihad”, ou “guerra santa” muçulmana.

Quem comenta a este respeito é o jovem Denis Jordan, vice-presidente da organização católica francesa Protège ton Église (Proteja a sua Igreja). O grupo tem como objetivo aquilo que o seu próprio nome declara: proteger igrejas e lugares santos de profanações e ataques diversos. A iniciativa, aliás, nasceu em março de 2019 como reação à onda de atentados contra templos, cemitérios, lugares e símbolos católicos na França.

Por ocasião do recente ataque terrorista que matou três pessoas na Basílica de Notre-Dame em Nice, Denis Jordan expôs o seu pensamento sobre por que os extremistas islâmicos atacam a França:

“Porque a França é um símbolo. A França é a filha mais velha da Igreja. É a nação com um rei santo que liderou as cruzadas”.

De fato, essas mesmas palavras constam num comunicado divulgado em 25 de outubro pelo Thabat, um braço de mídia do grupo terrorista islâmico Al Qaeda.

Islã e conquista da Europa

Em declarações à agência católica ACI Prensa neste 1º de novembro, Denis Jordan acrescentou:

“Um importante autor islâmico, Abu Mussah Al Suri, considera que a França é a porta de entrada para a conquista da Europa. Ele é o ideólogo da ‘terceira guerra santa muçulmana’ e vê a Europa como o primeiro lugar a atacar, especialmente a França, por causa das guerras no Afeganistão e outros lugares. Assim, ele pretende aumentar a islamofobia e dar aos muçulmanos uma razão para se unirem contra o Ocidente. Essa retórica, aliás, também foi usada por Ayman Al-Zawahiri, atual líder da Al Qaeda”.

Além disso, Jordan considera que muitos muçulmanos veem os cristãos como “idólatras” porque adoram a Santíssima Trindade. Para eles, de fato, afirmar que existem três Pessoas Divinas no mesmo Deus é uma espécie de “politeísmo”. E, sobre isso, o Alcorão afirma na surata 9: “Combatei unanimemente os idólatras, tal como vos combatem; e sabei que Alá está com os que o temem“.

Denis Jordan comentou ainda sobre o atentado na basílica de Nice:

“Esse acontecimento trágico é um entre muitos outros que estão fazendo parte do dia-a-dia na França. O mais difícil é não entender, mas admitir”.

Fonte: https://pt.aleteia.org/2020/11/05/isla-e-conquista-da-europa-ideologo-jihadista-diz-que-franca-e-porta-de-entrada/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.