Hungria mostra cruz feita com relíquias de 34 santos e beatos

Segundo o ACI (08/09/2021), uma cruz de mais de três metros de altura e com um pedaço da cruz de Cristo e relíquias de 34 santos e beatos está em Budapeste, Hungria, onde se realiza o 52° Congresso Eucarístico Internacional até o dia 12 de setembro. A “cruz missionária” foi feita de carvalho no ano 2007 pelo artesão Csaba Ozsvári, morto em 2009. Ela está na basílica de Esztergom, na Hungria.

A cruz está “decorada com revestimentos de bronze” e conta com ornamentos florais que evocam “os temas utilizados pelos ourives da época da conquista da Pátria Húngara”.

“Com o surgimento das decorações com folhas e gavinhas, podemos apreciar o antigo tema húngaro da árvore de vida. No entanto, a representação do símbolo do pavão já mostra características da arte paleocristã”, diz a organização do congresso.

A cruz é também um relicário que leva, no centro, uma caixa de prata com a relíquia da santa cruz e “relíquias de diferentes santos húngaros ou santos de origem húngara”: santo Adalberto, são Gerardo, são Emerico da Hungria, santo Estêvão I rei da Hungria, são Ladislau I da Hungria, santa Margarida, santa Isabel da Hungria, são Tomás Becket, santa Eduviges I da Polônia, santo André Zorard, são Bento de Zobor, são Martinho e santa Gisela da Baviera.

Também há relíquias dos beatos Ladislao Batthyány-Strattmann, Guillermo Apor, Teodor Romzha, Zoltán Meszlényi, János Brenner, Pablo Pedro Gojdič, Basilio Hopko, János Scheffler, Carlos de Habsburgo, Anton Durcovici, papa Inocêncio XI, das beatas Anna Kolesárová, Sára Salkaházi, e das mártires da Drina e dos mártires de Kassa.

Os organizadores do congresso disseram que, na visita de 2017 dos bispos húngaros a Roma, “o Papa Francisco abençoou a Cruz Missionária”.

O ourives Csaba Ozsvári

Ozsvári nasceu em 1963, em Budapeste, e estudou de 1982 a 1987 no departamento de ourivesaria da Universidade de Artes Aplicadas da Hungria, atualmente conhecida como a Universidade de Artes Aplicadas Moholy-Nagy.

“Depois de terminar seus estudos universitários, começou a trabalhar no campo da arte eclesiástica querendo criar algo duradouro tanto na arte litúrgica como na arte sacra. Considerou seu trabalho como uma vocação: com suas criações, queria aproximar o homem de Deus”, afirma a página do congresso.

O ourives fez vários objetos para a diocese de Vác. Em 1996, fez um missal para o cardeal László Paskai e em 1997 organizou a “exposição ´Officium` baseada nos dez anos de seu trabalho na Igreja Matias de Budavár”.

Em 1998, “participou da Exposição de Arte Eclesiástica Contemporânea organizada pela Academia Húngara, em Roma. No ano seguinte, o núncio apostólico Karl Joseph Rauber pediu-lhe que confeccionasse seus objetos litúrgicos”.

Em 2009, Ozsvári conheceu pessoalmente o papa emérito Bento XVI durante uma audiência geral, e lhe entregou “um crucifixo feito por ele, onde se via” a bem-aventurada Virgem Maria.

A Conferência Episcopal Católica da Hungria (CECH) outorgou postumamente o prêmio “Pro Ecclesia Hungariae” a Ozsvári como reconhecimento do seu trabalho no âmbito da arte sacra.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/hungria-mostra-cruz-feita-com-reliquias-de-34-santos-e-beatos-23379

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.