Duas curas milagrosas na vida de minha esposa…

Prof. Felipe e ZilaConheça alguns momentos importantes da vida do Prof. Felipe Aquino e sua esposa durante seus 40 anos de vida matrimonial

foram_40_anosPreciso contar aqui dois acontecimentos que eu considero milagres na vida de minha Zila. Um deles foi como ela venceu um medo traumático que tinha de chuva e trovoadas. Era algo inexplicável. Sentia verdadeiro pavor, pânico de trovoadas. Quando percebia o céu com algumas nuvens negras, já entrava em pânico. Ela me contou que quando criança sofreu um grande trauma em um sítio; teve de enfrentar uma terrível tempestade dentro de uma casa muito velha… Posso imaginar quão terrível foi!

Para se ter uma ideia de seu medo, às vezes, eu a encontrava dentro de um guarda-roupa, trancada, gelada, suando frio e rezando o Terço. Isso foi desde que eu a conheci aos 18 anos. Lutei e rezei a vida toda para ela vencer esse medo, nada adiantava. Nem psicólogo, nem as orações…

Eu tinha medo de que nossos filhos herdassem esse trauma, então, o que eu fazia? Quando chovia forte, com raios e trovões, eu saía no quintal para brincar com as crianças na chuva, com a intenção de que não tivessem medo como a mãe. Graças a Deus nenhum dos cinco filhos herdou esse pavor.

Às vezes, quando havia viagem marcada e o tempo estava chuvoso ou apenas ameaçava chover, ela não viajava de jeito algum; nem de carro ou avião, devido a esse medo. Era uma verdadeira escravidão, no entanto, eu nunca cessei de rezar para que Deus a curasse.

Leia também: Como lidar com o vício do meu cônjuge?

É no sofrimento que se descobre o sentido do casamento

Um milagre pela intercessão de São José sereis_uma_so_carne

O verdadeiro sentido do casamento

Por que o amor é para sempre?

Um dia a cura aconteceu, impressionante! Ela gostava demais do trabalho realizado com os dependentes químicos. Começou até a enfrentar o medo das trovoadas para ir à Casa de Emaús atendê-los, e dizia que rezava na Capela da Casa, e com a cabeça encostada no Sacrário pedia a Jesus que a curasse. Jesus a curou!

Aos poucos foi perdendo o medo, saía com chuva e tempestade, dirigindo. Não tive dúvidas que foi uma cura milagrosa. Ora, depois de trinta anos, ver um trauma desses, desaparecer rapidamente, é uma graça muito especial. Dali em diante ela viajava comigo para toda parte; fomos duas vezes para a Terra Santa, ao Japão, Portugal, várias vezes aos Estados Unidos. As viagens eram encontros de evangelização.

Nunca mais ela teve o menor medo de chuva. Glória a Deus! Bendito Aquele que tudo pode e que nos ama!

Outro fato que ocorreu e o tenho como um milagre, uma graça extraordinária, que Zila recebeu. Aconteceu uns sete anos antes de sua morte, por volta do ano de 2007. Zila abandonou o vício de fumar.

Ela fumava desde os quinze anos de idade, portanto, fumou cerca de quarenta anos. Antigamente se fumava muito; talvez tenha adquirido o vício pelo medo das tempestades.

No ano de 2007 ela lutava firmemente para deixar o vício do cigarro; porque na Casa de Recuperação não se podia fumar; e ela fumava bastante. Eu nunca a ofendi por causa disso, sempre suportei com amor o seu vício; pois eu sei como é difícil deixá-lo. Rezava sem cessar. E eis que o milagre aconteceu.

A graça aconteceu no dia da festa de São José Operário, era primeiro de maio. Ela lutava bravamente para deixar o cigarro, mas não conseguia. Eu disse a ela: – Vamos à Procissão de São José, que vai haver à tarde, e lá você vai entregar seu cigarro a ele. Ela aceitou. Fomos à procissão; em todo o trajeto eu rezei Terços pedindo a São José por ela.

Quando acabou, voltamos para casa e ela entregou a última carteira que fumou na sua vida, a São José. E nunca mais voltou a fumar. Viva São José! Em gratidão a ele, escrevi o livro O glorioso São José.

Na Catedral de Lorena há uma majestosa imagem de São José; é utilizada nas procissões em honra a ele. Recentemente essa bela imagem foi restaurada por meu filho Lucas, que adquiriu uma fábrica de imagens sagradas. Parece-me até um preito de gratidão; foi um pedido do nosso pároco, Pe. Rivelino Nogueira.

Presenciei por diversas vezes, e em situações difíceis de nossa vida, que minha esposa ameaçava fumar nessas ocasiões, porém, nunca mais fumou. Um dia, em lágrimas, diante de um problema que a abalou, ela disse-me chorando: – Não aguento mais, vou voltar a fumar!

Eu senti que de fato ela ia fumar, não havia outra saída. Eu apenas pedi a ela que não fizesse aquilo. Levantei-me e ajoelhei diante da imagem de São José, que temos em nossa sala de visitas, e implorei a São José, do fundo da alma, num clamor entre lágrimas, que não permitisse que ela retornasse ao vício; pois eu sabia que seria o caos… Chorando ela jogou fora o cigarro e não fumou. Bendito seja São José!

Espero ainda, em agradecimento a ele, republicar um belo livro chamado: São José não falha, de A.M. Weigl. Uma oração feita com clamor e lágrimas sempre será atendida.

Assista também: Foram 40 anos…

De minha parte, logo depois dessa graça, prometi a São José que escreveria um livro sobre Sua vida, o que já fiz há uns anos atrás. Além disso, rezo todo dia esta oração ao grande santo e Pai adotivo de Jesus:

o_glorioso_sao_joseGlorioso São José, digno de ser entre os santos com especialidade venerado, amado e invocado, pelo primor de vossas virtudes, eminência de vossa glória e poder de vossa intercessão, perante a Santíssima Trindade, perante Jesus, vosso filho adotivo, e perante Maria, vossa castíssima Esposa, minha Mãe terníssima, tomo-vos hoje por meu advogado junto de ambos, por meu protetor e pai, proponho firmemente nunca esquecer-me de Vós, honrar-vos todos os dias que Deus me conceder, e fazer quanto em mim estiver, para inspirar vossa devoção aos que estão a meu encargo. Dignai-vos vo-lo peço ó pai do meu coração, conceder-me vossa especial proteção e admitir-me entre vossos mais fervorosos servos. Em todas as minhas ações assisti-me, junto de Jesus e Maria favorecei-me, e na hora da morte não me falteis, por piedade. Amém.

Recomendo também a você que não desanime. Se precisa alcançar alguma graça para você ou para alguém de sua família, peça a intercessão dos santos. Eles intercedem por nós sem cessar!

Retirado do livro: “Foram 40 anos”. Prof. Felipe Aquino. Ed. Cléofas.

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.