Dez conselhos de um padre para acabar com as fofocas

Padre Dwight Longenecker, pároco de Nossa Senhora do Rosário, em Carolina do Sul, nos EUA, propõe algumas iniciativas para acabar com a fofoca, ação que destrói o homem através da calúnia, da murmuração e da mentira.

Segundo o Catecismo da Igreja Católica, no número 2.507, “o respeito pelo bom nome e pela honra das pessoas proíbe toda e qualquer atitude ou palavra de maledicência ou calúnia”.

Nesse sentido, padre Dwight, autor de vários livros católicos, apresenta num artigo publicado em ‘National Catholic Register’ dez maneiras de acabar com a fofoca, seja na escola, no trabalho, na família ou na vida paroquial.

“Quase sempre, as fofocas são meias verdades. Uma pessoa obtém um lado da história e uma parte da verdade, depois tira a conclusão errada e fala para outra pessoa. A mentira se torna exagerada e se estende ainda mais. Em pouco tempo, as pessoas inocentes são arrastadas a um turbilhão de fofocas, insinuações e mentiras”, afirma.

Leia também: As palavras mostram o coração

Você cai no vício da fofoca? Faça este teste e descubra

“Acabemos com as fofocas!”, pede o Papa Francisco a milhares de fiéis no Vaticano

Papa questiona: Como se pode transmitir a fé com calúnias e fofocas?

É fofoqueiro? Papa Francisco aconselha este “remédio”

A seguir, as dez maneiras propostas pelo padre para acabar com a fofoca:

1. Não acreditar em ninguém e acreditar em todos

“Em outras palavras, acredite no que a pessoa lhe disse. Realmente pensam que o que disseram é verdade e do ponto de vista deles é verdadeiro. No entanto, lembre-se de que sempre, sempre há outro lado da história. Portanto, não acredite nelas. Pare e morda a língua”, diz o pároco.

2. Reunir todos os fatos

O padre diz que não se deve reunir os fatos que aconteceram escutando uma só pessoa, mas é preciso averiguar “com o maior número possível de pessoas”.

3. Ir à fonte

“Pelo amor de Deus, tenha a coragem, a graça e o bom senso para ir à fonte. Se Mildred fala sobre George, vá diretamente a George para descobrir os fatos”, afirma o padre Dwight.

4. Dar a todos o benefício da dúvida

O padre defende que sempre é bom acreditar no melhor e não no pior, ou seja, “se você ouvir algo ruim sobre alguém, imagine por que fez algo (se realmente o fez) e quais poderiam ser suas boas motivações”.

5. Calar-se

“Você não precisa falar e contar tudo a todos. Mesmo um idiota é considerado sábio se mantém a boca fechada. Fale a metade do que escuta”, aconselha o padre Dwight.

6. Questionar as fofocas

O padre diz que não se deve ser ingênuo e deve perguntar à pessoa direta, mas docemente: “Você realmente sabe se isso é verdade?”

7. Questionar a fofoca com dureza

“O que você está me dizendo é uma fofoca suja e destrutiva! Recuso-me a acreditar e acho que deveria mantar a boca fechada”, é a outra opção sugerida pelo pároco. Essa ele garante que essa não vai agradar.

8. Fixar os olhos na verdade

“Por que perder tempo com fofocas idiotas e inúteis”, pergunta o padre Dwight.

9. Focar-se nos outros

Padre Dwight tenta pensar em como as fofocas se espalham: “Sabe por que gosta de fofocas? Porque isso faz você se sentir superior. Você fofoca negativamente sobre os outros porque pensa que é melhor do que eles. Então, envenenaria e destruiria a vida deles para se sentir bem por um momento”.

10. Rezar pelas pessoas envolvidas

O padre concluiu que se deve oferecer uma oração por aqueles que propagam as fofocas dizendo: “Senhor, tenha piedade”.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/dez-conselhos-de-um-padre-para-acabar-com-as-fofocas-51355

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.