Descobertos nas margens do Mar Morto fragmentos de textos bíblicos de 2.000 anos

O mais importante das descobertas recentes são os fragmentos de pergaminhos com textos dos doze profetas menores, sobretudo Zacarias e Naum, escritos em grego.

Segundo o Gaudium Press (18/03/2021), um grupo de arqueólogos encontrou, nas margens do Mar Morto, uma série de fragmentos da Bíblia com dois mil anos de idade.
A descoberta está sendo considerada como a mais importante descoberta bíblica em mais de 60 anos.

A “Autoridade de Antiguidades de Israel” teve a seu encargo a escavação e confirmou que que se trata de aproximadamente 20 fragmentos de um pergaminho bíblico escrito, em grande parte em grego, e que contém fragmentos de escritos dos doze profetas menores, em particular de Zacarias e Naum.

Na mesma operação, descobriu-se um esconderijo contendo moedas raras da época de Bar-Kokhba, o líder israelita que dirigiu a revolta contra os romanos entre os anos de 132 e 135 depois de Cristo. Foi encontrado também um esqueleto infantil de 6 mil anos de idade, provavelmente do sexo feminino, envolto em tecido e mumificado. Ainda encontrou-se uma grande cesta intacta que parece ter cerca de 10.500 anos, provavelmente a mais antiga do mundo.

Os judeus perseguidos pelos pelos romanos refugiavam-se na Gruta dos Horrores

Em entrevista realizada com o Vatican News, o diretor do Instituto de Arqueologia e Cultura das Terras Bíblicas, Marcello Fidanzio, explicou que as descobertas se deram em um lugar chamado “Cova dos Horrores”, no deserto de Judá, onde se escondiam os judeus que eram perseguidos pelos romanos.

“Durante as duas revoltas alguns refugiados se esconderam nas grutas porque eram perseguidos pelos romanos. Neste caso concreto nos referimos a uma gruta com um nome dramático, ela se chama Gruta dos Horrores”, explica Fidanzio.

“Uns 40 homens, mulheres e crianças morreram ali de fome e sede. Neste lugar homens, mulheres e crianças morreram aqui de fome e sede. Neste lugar, durante sua fuga, haviam trazido alguns de seus objetos mais preciosos: posses, utensílios da vida cotidiana e textos escritos: documentos e textos bíblicos”.

Um valioso descobrimento, depois de mais de 60 anos

“Depois dos grandes descobrimentos dos anos quarenta e cinquenta, especialmente em Qumrán e no deserto de Judá, não havia voltado a ocorrer nada parecido a propósito dos textos bíblicos”, disse Fidanzio, que explicou que a descoberta é só algumas linhas escritas em grego, porém, tem uma enorme importância.

“Nos encontramos diante de pequenos fragmentos, portanto, um número limitado de linhas de texto escritas em grego e relativas ao Antigo Testamento. eles são uma prova do que os estudiosos chamam de fluidez textual, a época em que o texto da Bíblia ainda não era estável e único”.
“Só mais tarde, as Escrituras foram canonizadas, fixadas e depois transmitidas com grande fidelidade até nossos dias”.

Os fragmentos da Cova dos Horrores representa um momento ainda constitutivo e graças eles podemos captar uma etapa que conduz ao texto definitivo”. (JSG)

Fonte: https://gaudiumpress.org/content/descobertos-nas-margens-do-mar-morto-fragmentos-de-textos-biblicos-de-2-000-anos/

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.