CRISTIANISMO E MARXISMO SE COADUNAM?

CRISTIANISMO E MARXISMO SE COADUNAM?

Esta é uma pergunta que muitos nos fazem, sobretudo nesses dias…

Alguns católicos se dizem comunistas ou socialistas. Mas é possível ser cristão e comungar com uma ideologia que já causou milhões de mortes no mundo?

Além do massacre na Rússia, China, etc., o marxismo fez muitas vítimas em outros países.

O historiador Hugh Thomas estimou que na guerra civil espanhola, em 1930, de fundo socialista, foram assassinados 12 bispos, 4.184 padres, 300 freiras, 2.363 monges. Algo semelhante aconteceu na guerra mexicana de 1926.

Alguns católicos procuram uma conciliação teórica (ou, ao menos, prática) entre Cristianismo e marxismo, são os chamados grupos de cristãos socialistas (de esquerda) e colaboram direta ou indiretamente com o marxismo. Para esses, pode-se guardar do marxismo o que foi comprovado como positivo através da história recente e a se rejeitarem os seus erros.

Mas o marxismo é um todo compacto, inspirado radicalmente pelo materialismo e ateísmo, de modo que é impossível separar entre si os seus diversos aspectos.

Há marxistas que prezam a fé, não porque a consideram como um valor em si, mas, porque veem nela um fator que pode ser revolucionário e pode favorecer o crescimento do marxismo, que por princípio é sempre materialista e anticristão. É a velha tentativa de se usar a religião, como a China que criou a “Igreja Patriótica” e persegue a Igreja Católica.

Os cristãos influenciados pelo marxismo, aceitam as suas principais teses, como o materialismo histórico, a crítica radical ao capitalismo, o fim da propriedade privada e a luta de classes.

Vários desses cristãos militam em Partidos comunistas e outros colaboram com estes. Concordam com o método da análise marxista da sociedade capitalista e a “práxis” (ação) revolucionária, embora não aderem à filosofia marxista, materialista e ateia.

O que move esses cristãos é:

1- A luta contra o Capitalismo, considerado um sistema radicalmente injusto, causa de todas as injustiças sociais;

2- Acham que o Cristianismo não foi capaz de criar uma ordem social mais justa, mas aliou-se ao capitalismo. Consideram que a própria Doutrina Social da Igreja ficou dominada pelo sistema capitalista e se tornou estéril.

3- O capitalismo só pode ser vencido pelo socialismo científico, que se inspira no marxismo, que realiza uma análise verdadeiramente científica da sociedade capitalista, empregando a luta de classes como único método de combate ao capitalismo, pela luta revolucionária socialista.

Os cristãos marxistas fazem uma reinterpretação do Cristianismo, como bem explicou Bento XVI.

Esta é uma questão muito complexa e que estudaremos mais à fundo no livro “Marxismo: Uma ideologia atraente e perigosa”, de Nossa Editora Cléofas.

Trecho retirado do livro: “Marxismo: Uma ideologia atraente e perigosa”, de Prof. Felipe Aquino, Editora Cléofas.

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.