Católicos pró-eutanásia e abortistas não podem receber a Eucaristia, recorda Bispo

“A Sagrada Comunhão está reservada para aqueles que, com a graça de Deus, se esforçam sinceramente por viver esta união com Cristo e a sua Igreja, aderindo a tudo o que a Igreja Católica crê e proclama como revelado por Deus”

Segundo o site Gaudium Press (07/04/2021), na Quinta-feira Santa, com o título de exortação, Veneremur Cernui, Dom Thomas Olmsted, Bispo de Phoenix, (EUA), publicou uma exortação apostólica sobre o sacramento da Sagrada Eucaristia.

O Bispo americano recorda em sua exortação que a doutrina católica considera que a Eucaristia é o sacrifício transformador de Cristo na cruz e que a Sagrada Comunhão só deve ser recebida com dignidade.

Ele destacou que este ensinamento da Igreja não é partidário, mas que, sem dúvida, se aplica a líderes políticos que apoiam o aborto e a eutanásia.

A Igreja proíbe de receber a Sagrada Comunhão os católicos que apoiaram publicamente leis imorais, como o aborto e a eutanásia

De acordo com Dom Olmsted, o ensino da Igreja sobre esse ponto “sempre foi claro e está baseado nas Escrituras”:

“A Sagrada Comunhão está reservada para aqueles que, com a graça de Deus , se esforçam sinceramente por viver esta união com Cristo e a sua Igreja, aderindo a tudo o que a Igreja Católica crê e proclama como revelado por Deus”.

O Bispo de Phoenix explica que é por isso que a Santa Igreja “exige que os líderes católicos que apoiaram publicamente leis seriamente imorais, como o aborto e a eutanásia, se abstenham de receber a Sagrada Comunhão até que se arrependam publicamente e recebam o Sacramento da Penitência”.

A Igreja ensina: o aborto, a eutanásia são pecados inerentemente graves, por isso, por consciência, todos os católicos devem se opor a eles

O Prelado recordou em sua exortação apostólica que “Nem todas as questões morais têm o mesmo peso que o aborto e a eutanásia.”

Por isso, explica o Bispo é que “A Igreja ensina que o aborto ou a eutanásia são pecados inerentemente graves e que existe uma obrigação grave e clara para todos os católicos de se opor a eles por meio da objeção de consciência”.

O ensino da Igreja é universal, Ela não pode ser acusada de favorecer ou apontar partidos políticos

Dada a situação política atual e todo o clima criado a propósito desse assunto, Dom Olmsted julgou conveniente explicar que a Igreja pode ser “facilmente acusada de favorecer um partido e apontar para os políticos de um determinado partido com tal ensino”.

“No entanto, –ressaltou o Bispo– a Igreja só reafirma fielmente o seu perene ensinamento sobre a Eucaristia e a digna recepção da Sagrada Comunhão, que se aplica a todas as pessoas”.

Receber indignamente a Sagrada Comunhão é um sacrilégio que leva a um pecado maior e à traição

Em sua exortação da Quinta-feira Santa, o Bispo de Phoenix, nos Estados Unidos, indica o último ponto a que pode levar a recepção indigna da Santíssima Eucaristia.

O Prelado afirmou que ao receber indignamente a Sagrada Comunhão, o sacramento “se torna um sacrilégio”.

Em outras palavras isso significa que “o remédio espiritual se torna para essa pessoa – é assustador dizê-lo – em uma forma de veneno espiritual”, reiterou Dom Olmsted e continuou com seu pensamento:

“Quando realmente não cremos em Jesus, quando não buscamos realmente conformar toda a nossa vida a Ele e recebê-Lo, mesmo sabendo que pecamos contra Ele, então isso só nos leva a um pecado maior e à traição”. (JSG)

(Redação Gaudium Press, Informações NCR, Foto VaticanMedia)

Fonte: https://gaudiumpress.org/content/catolicos-pro-eutanasia-e-abortistas-nao-podem-receber-a-eucaristia-recorda-bispo/

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.