Aqui estão seis bons motivos para casar

Através do matrimônio, Cristo se torna presente na vida do casal, a fim de ajudá-lo a cumprir seus votos.

O casamento cria um ambiente propício à felicidade. Ao contrário de um relacionamento livre ou de convivência, ele responde natural e autenticamente ao chamado que sentimos quando nos apaixonamos.
Quando duas pessoas se apaixonam, elas não são chamadas a viver em união. O amor nos convida a um relacionamento em que uma doação recíproca é desejada e expressa: um amor comprometido, exclusivo, permanente, altruísta e fecundo.

Abaixo, seis bons motivos para você se casar:

O casamento aumenta a sua capacidade de amar
A diferença entre morar juntos e se casar não é a certidão de casamento, que é simplesmente um sinal do compromisso, ou a cerimônia que torna público o que os noivos estão prometendo um ao outro, mas o fato de que aqueles que se casam realizam um novo ato de amor – comprometendo-se a amar um ao outro para sempre.

Dar esse passo de comprometimento gera energia, ideias, esforços e atitudes que não se tornariam realidade se a ideia do relacionamento permanecesse apenas enquanto houvesse desejo ou até um determinado período.

Casar-se, com a doação e o compromisso que isso implica, não elimina as limitações ou defeitos das pessoas, mas cria uma condição nova e benéfica para os noivos e eleva as capacidades do casal de amar a um nível que não pode ser alcançado sem esse ato voluntário.

Leia tambémEstudo revela os benefícios que o casamento traz aos homens

Orientações pastorais para o casamento

4 dicas para enfrentar as discussões no casamento

Amantes são duas pessoas que simplesmente se amam; cônjuges são pessoas que, além de se amarem, decidem se comprometer formalmente a se amar. Essa é uma grande diferença. O casamento é um ato de amor, de total rendição, com a promessa de continuar esse ato até a morte.

2. O “para sempre” fortalece o seu compromisso e o seu amor

O amor autêntico nos convida a uma união permanente, não temporária; um compromisso de conviver e de nos entregar ao cônjuge “até que a morte nos separe”.

O simples desejo de estar com alguém é algo meramente sentimental: um amor muito frágil, que pode ter uma data de validade muito curta. O casamento é um passo que concretiza essa união. Por meio de um ato concreto no presente – o matrimônio – os amantes se comprometem com o futuro.

3. O casamento nos motiva a dar o nosso melhor

Outro aspecto intrínseco ao casamento é o altruísmo – dar o melhor de si para o outro. Os cônjuges se enriquecem com suas diversidades perceptivas, racionais, fisiológicas, emocionais e espirituais.

O bem dos cônjuges (que é a finalidade do casamento) consiste nas mudanças que são feitas no modo de ser de cada pessoa, a fim de viver um relacionamento de duas pessoas como se fossem uma só.

4. Novos motivos para comemorar

Ao longo da história da humanidade, o casamento sempre foi celebrado, embora com nuances diferentes. Quando duas pessoas decidem mutuamente que a outra pessoa é tão valiosa que merece o presente de sua vida, esse é um grande motivo para comemorar.

Pela mesma razão, celebramos aniversários de casamento, quando comemoramos o momento em que o casal se comprometeu profundamente um com o outro e lembramos a renovação anual desse compromisso.

5. Mentalidade aberta para a vida

O amor entre marido e mulher tende a se tornar amor frutífero, uma recriação da vida dos cônjuges, porque o fato de se apaixonar gera fecundidade de várias maneiras, não apenas em dar vida a um ser humano. Cria nos cônjuges uma atitude de abertura para com a vida em geral, além da abertura para ter filhos, um dos propósitos do casamento.

Na verdade, a estrutura sólida oferecida pelo amor comprometido prepara um ambiente pacífico para receber os filhos e criar nos cônjuges uma apreciação pelo valor da vida.

6. Enriquecimento sacramental

O casamento é um patrimônio comum da humanidade, mas a grande riqueza dos católicos é que o matrimônio foi elevado por Cristo à dignidade do sacramento, uma realidade espiritual em que Cristo se torna presente de uma nova maneira na vida dos cônjuges para ajudá-los a cumprir seus votos.

Isso significa que, graças ao compromisso que assumiram, eles têm maior vontade e energia para crescer e superar suas dificuldades, que são elevadas e apoiadas pela graça de Deus através do sacramento. O amor exige trabalho todos os dias e, quando a força humana vacila, a graça de Jesus nos sustenta.

 

Fontehttps://pt.aleteia.org/2019/11/06/quer-um-bom-motivo-para-casar-aqui-estao-seis/

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.