A vitória na Páscoa

ressurreicao“Onde abundou o pecado, sobreabundou a graça” (Rom 5,20)

Nenhum homem poderia, sozinho, com as suas forças, sair do reino do pecado e da morte. O Senhor Jesus, crucificado e ressuscitado, comunica-nos o poder do Seu Espírito e despedaça as cadeias que nos mantêm prisioneiros. Regenera-nos para uma vida nova, como filhos de Deus.

Claro que, mesmo depois da regeneração, permanece a inclinação interior desordenada e a influencia exterior negativa, mas estas já não são irresistíveis. Deve continuar-se a combater, mas pode-se vencer. Assim também o sofrimento e a morte se mantêm, mas mudam de sentido e tornam-se ocasiões de crescimento espiritual. A vida divina elimina o pecado e transfigura as suas consequências. Introduz-nos na condição pascal, superior à própria condição paradisíaca original, na medida em que nos dá a possibilidade de alcançar uma perfeição mais elevada: “Onde abundou o pecado, sobreabundou a graça” (Rom 5,20).

Leia também: Páscoa, festa da Ressurreição de Cristo

Fato histórico da Ressurreição de Jesus

O Pecado Original, uma verdade de fé

Pecado e Salvação

O pecado primordial da humanidade impediu a transmissão da justiça original e da condição paradisíaca e deu início a uma solidariedade negativa.

O pecado original, presente em cada homem que vem ao mundo, é privação da graça santificante, incapacidade de entrar em diálogo filial com Deus e de vencer a inclinação para cometer os pecados pessoais.

O pecado original é suprimido na justificação, através da comunicação da graça divina da parte do Senhor, crucificado e ressuscitado, redentor de todos os homens.

Retirado do livro: “A verdade vos tornará livres”. Ed. Gráfica de Coimbra.

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.