A Igreja e o Reino de Deus

reino-de-deusA Igreja “avança em sua peregrinação através das perseguições e das consolações de Deus”. Santo Agostinho

O Concílio Vaticano II ensina que “A Igreja… recebe a missão de anunciar e estabelecer em todas as gentes o Reino de Cristo e de Deus, e constitui ela própria na terra o germe e o início desse Reino” (LG, 5).

Portanto, Cristo fundou a Igreja sobre Pedro e os Apóstolos para que ela fosse a “semente” do Reino de Deus, que Ele veio trazer aos homens. Sem a Igreja não pode haver, então, o Reino de Deus. As próprias imagens são sinais que Jesus usou para revelar a Igreja, e mostram a sua natureza íntima e a sua missão.

Na “plenitude dos tempos” (Gal 4,4), Deus enviou o seu Filho ao mundo para realizar o plano da salvação. Esta é a Missão de Jesus, porque o Pai quis “restaurar todas as coisas em Cristo” (Ef 1,10). Para cumprir então a vontade do Pai, Jesus inaugurou na terra o Reino dos Céus, através da instituição da Igreja e do anúncio do Evangelho.

Leia também: O Reino de Deus

Como os leigos podem ajudar na construção do Reino de Deus?

É preciso trabalhar pelo Reino de Deus

“A Igreja, diz o Concílio, Reino de Cristo já presente em mistério, cresce visivelmente no mundo pelo poder de Deus…” (LG 3).

Note bem que com esta expressão o Concílio identifica a Igreja com o Reino de Cristo, já presente neste mundo em mistério.

Jesus iniciou a Igreja pregando a Boa Nova, a Boa Notícia, isto é, a “chegada do Reino de Deus” aos homens, prometido nas Escrituras havia séculos. “Os tempos estão cumpridos, e o Reino de Deus está iminente” (Mc 1,15). Pela presença de Jesus, por suas palavras e por seus milagres, o Reino de Deus começa a surgir entre os homens.

“Mas, se Eu expulso os demônios pelo dedo de Deus, é que chegou até vós o Reino de Deus” (Lc 11,20; Mt 12,28).

O germe e o começo do Reino é aquele “pequeno rebanho” que Jesus chamou para viver com Ele e dos quais se tornou Pastor. “Não temas, pequeno rebanho, porque foi do agrado de nosso Pai dar-vos o Reino” (Lc 12,32). É nesse “pequeno rebanho” de discípulos que surge a Igreja destinada a ser a “família de Deus” (Ef 2,20). Era a família de Jesus, que ele cuidou como o bom Pastor.

Jesus é a Videira, o tronco, a Cabeça da Igreja; e nós somos seus ramos, seus membros. É a realidade da Igreja fundada Nele e por Ele para trazer de volta a humanidade para Deus no seu Reino.

Ouça também: O Reino de Deus

O Reino de Deus- Parte 2

Jesus confiou o Reino de Deus aos Apóstolos:

“Eu, pois, disponho do Reino a vosso favor assim como o meu pai o dispôs a meu favor, para que comais e bebais à minha mesa no meu Reino e vos senteis em tronos para julgar as doze tribos de Israel” (Lc 22,29-30).

Para os judeus, “julgar” significava em primeiro lugar “governar”.

Esses Doze são as pedras fundamentais da nova Jerusalém, como mostra bem o Livro do Apocalipse, ao revelar a Nova Jerusalém: “A muralha da cidade tem doze alicerces, sobre os quais estão os nomes dos doze Apóstolos do Cordeiro” (Ap 11,14).

Esta Igreja, enriquecida e guiada pelo Espírito Santo com os dons carismáticos e hierárquicos, realiza na terra a missão de anunciar o Reino de Deus e de implantá-lo em todos os povos. Mas é preciso lembrar que a própria Igreja é “o germe e o início” deste Reino (LG, 5). Sem a Igreja não existe Reino de Deus.

A Igreja e o Reino de Deus “só terão a sua consumação na glória celeste”, nos ensina o Concílio (LG, 48), quando do retorno glorioso de Cristo. Enquanto isso, como disse Santo Agostinho, ela “avança em sua peregrinação através das perseguições e das consolações de Deus” (Cidade de Deus 18,51).

Prof. Felipe Aquino

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.