A história de Tomasito, o menino sepultado no Vaticano para estar perto do Papa

Conforme o site ACI, na sexta-feira, 6 de dezembro, foi divulgada a história de Tomasito, um menino argentino que sofria de câncer e queria estar perto do Papa Francisco. Seu desejo foi realizado pela vontade do Santo Padre, pois, após sua morte, seus restos mortais foram depositados no Cemitério Teutônico do Vaticano.

Segundo informou o jornal italiano ‘La Stampa’, o Santo Padre confirmou que conheceu esse menino enquanto ainda era Arcebispo de Buenos Aires, através de seu vigário geral, Dom Joaquin Mariano Sucunza.

“Foi em 2004 quando apareceu este menino de dois anos, sobrinho de quem continua sendo a minha secretária, com um tumor no fígado. Era um menino muito especial e muito intuitivo, que seguiu adiante até que, com a adolescência, a doença voltou… Eu o acompanhei muito”, compartilhou Dom Sucunza ao jornal argentino ‘La Nación’.

Já com câncer, os pais de Tomasito perguntaram se ele tinha algum desejo e o menino disse que queria ser enterrado perto de onde o Papa Francisco morava “na outra parte do mundo”.

Segundo o jornal italiano, Tomasito faleceu aos onze anos em julho de 2013 e o Pontífice, que ficou comovido com a história, fez todos os procedimentos para que suas cinzas fossem sepultadas no cemitério Teutônico em 2015, perto da Casa Santa Marta, onde o Papa reside.

“Preparou-se para morrer”, disse Francisco. “Tudo o que queria era estar perto de mim, ser enterrado no Vaticano”, recordou o Papa, segundo o jornal italiano.

O autor da história, o vaticanista Domenico Agasso, disse que os restos mortais de Tomasito estão embaixo de uma lápide, “rente à terra”. Em seu artigo, contou que a mãe do menino viajou a Santa Sé para visitar o túmulo de seu filho, junto com sua nova irmã.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/a-historia-de-tomasito-o-menino-sepultado-no-vaticano-para-estar-perto-do-papa-31954

Be Sociable, Share!

Sobre Prof. Felipe Aquino

O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Adicionar a favoritos link permanente.