Vaticano condena violência em Roma

Que marcou a manifestação dos indignados

ROMA, terça-feira, 18 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – “O Vaticano condenou a violência em Roma, que marcou a manifestação dos indignados”, intitulou nesta segunda-feira a Rádio Vaticano, ao relatar a reação do cardeal vigário de Roma e das associações católicas italianas.

Tudo começou com uma manifestação pacífica no espírito do movimento mundial dos “indignados”.

Milhares de pessoas desfilaram em calma pelas ruas da capital italiana. Mas tudo saiu mal: incontrolados ocultos sob seus lenços semearam confusão, queimando carros e quebrando vidros. As autoridades estimam em um milhão de euros os danos causados.

O Vaticano qualificou como “horríveis” os choques deste sábado em Roma. O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, “condenou a violência e o fato de que uma igreja fosse profanada por alguns manifestantes”.

No domingo, o cardeal vigário de Roma,Agostino Vallini, mostrou-se profundamente preocupado pela irrupção de alborotadores em uma igreja situada no centro de Roma.

Uma estátua de Nossa Senhora e um crucifixo foram destruídos, relatou a Rádio Vaticano em seu site, com uma fotografia da imagem em pedaços.

Os incidentes começaram no início da manifestação. Algumas pessoas transformaram em um campo de batalha a praça histórica de São João de Latrão, basílica papal e catedral de Roma.

“A polícia – acrescentou a Rádio Vaticano – disparou contra centenas de jovens que lançavam bombas de fumaça, coquetéis Molotov e garrafas contra as forças da ordem, enquanto os manifestantes pacíficos levantavam os braços para não serem confundidos com os alborotadores.”

O cardeal Vallini expressou “sua profunda preocupação, desejando que se restabelecesse, o quanto antes, um clima de diálogo e de amizade”.

As associações católicas também levantaram sua voz para condenar esta violência.

“É um dia de profunda tristeza, quase de luto”, afirmaram os jovens da Ação Católica em um comunicado, porque “a violência, provocada por grupos de black block, equipados por uma guerrilha urbana, transformaram esta manifestação em um ritual macabro e aterrador”.

Os jovens católicos italianos desejaram que “se faça justiça com relação aos manifestantes pacíficos, para os jovens italianos, para a cidade de Roma, para as forças da ordem”.

A Rádio Vaticano concluiu explicando que outras associações católicas destacaram que o que ocorreu em Roma no sábado apresenta interrogantes sobre o clima de tensão que se apoderou dos italianos, sobretudo dos mais jovens.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.