Vaticano apresentará alternativas à fecundação artificial

Roma, 27
Fev. 11 / 11:21 am (ACI/Europa Press) O Presidente da Pontifícia Academia para a Vida do Vaticano, o Bispo
espanhol Ignacio Carrasco de Paula anunciou que este dicastério publicará um
livro “sobre o problema da esterilidade” que conterá “todas as
soluções alternativas possíveis” aos programas de inseminação artificial.

Em seu discurso de inauguração da 18ª assembléia geral da Academia, que se
celebra no Vaticano até o dia 26 de fevereiro, Dom Carrasco sublinhou que os
casais com problemas de fertilidade são “dirigidos sempre a estruturas nas
que se praticam técnicas artificiais” e “ninguém se preocupa por
oferecer a estes casais outros centros que curam a infertilidade humana, um
campo de estudo que apresenta um grande desenvolvimento”.

O Bispo reconheceu que “muitas vezes o conselho é o de não perder tempo
com tentativas inúteis” por isso pediu aos estudiosos da Academia que
“desafiem esta mentalidade” e restituam “a esperança” sobre
tudo “àqueles que não querem recorrer a técnicas artificiais de
procriação”.

A Assembleia, que contou com a presença do Papa Bento XVI na
conclusão dos trabalhos, centra-se em suas reuniões em dois temas principais, o
síndrome pós-abortiva e as questões éticas dos bancos de cordão umbilical.

Além disso, o Presidente da Academia recordou que um dos grupos de estudos se
ocupou nestes dias de analisar “a infertilidade e das terapias para
superar este problema” embora tenha assegurado que “não se ocupará
das questões da procriação assistida” mas mostrará “outros caminhos
alternativos”, conforme informa a Rádio Vaticano.

Por outra parte, Dom Carrasco da Paula destacou que o objetivo desta Assembléia
é “a vontade de demonstrar a importância de pôr à disposição de todos um
recurso excepcional, como é o cordão umbilical”.

Com isto se busca superar “a tentação de jogá-lo fora como se fosse um
resto ou de conservá-lo para si, sabendo que há poucas possibilidades de
utilizá-lo”, por isso a Assembléia destacará as questões éticas dos bancos
de cordão umbilical para evitar “que se converta em um mercado”
destes tecidos, conforme explicou o Presidente da Academia em uma entrevista
concedida à Rádio Vaticano na quarta-feira 23 de fevereiro.

Do mesmo modo, Dom Carrasco da Paula recordou que o segundo objetivo da
assembléia será o estudo “das problemáticas que surgem depois de um aborto
procurado” o qual “não pode ser uma síndrome porque é um conceito
clínico muito preciso e nos casos de manifestações pós-aborto não se pode falar
de síndromes conexas” embora se reconheça que “existem estas
consequências” que podem ser “mínimas ou inclusive traumáticas e
causar situações de angústia psicológica grave, também no âmbito
familiar”.

Por último, o Prelado recordou os estudiosos da Academia que o mundo
“demonstra ser cada vez mais agressivo com a vida humana” por isso a
missão da Igreja é
“recalcar com força a necessidade de defender o homem em sua
integridade”.

O Bispo, que foi nomeado Presidente da Academia no último 30 de junho, recordou
aos cientistas que colaboram com o dicastério vaticano que “no centro de
nossa ação não existe um conceito abstrato nem tampouco uma ideologia” mas
“uma pessoa concreta”, o qual exige “olhar o futuro com olhos novos”
e “potencializar a atividade de estudo” na Academia.

 

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.