Uma curiosidade sobre os Anjos

DSC08702No combate não lutamos sozinhos. Lemos em Apocalipse 12: “Miguel e seus anjos combateram contra o dragão” (12,7).

Quando criou os anjos, Deus os fez livres e, assim, eles tiveram de passar por uma espécie de teste- exatamente como nossa vida na terra é um teste. Ninguém sabe o que foi esse teste, mas alguns teólogos especulam que foi concedida aos anjos uma visão da Encarnação e lhes foi dito que tinham de servir à divindade encarnada, Jesus e sua Mãe. O orgulho de Satanás rebelou-se contra o escândalo do Espírito assumir laços da matéria, e ele disse: “Não servirei!”. Segundo os Padres da Igreja, ele conduziu um terço dos anjos nessa rebelião (Veja Ap 12,4). Miguel e seus anjos os expulsaram do céu (veja o v.8).

Em todo o Apocalipse, vemos que os anjos povoam densamente o céu. Adoram a Deus sem cessar (Ap 4,8). E zelam por nós. Os capítulos 2 e 3 deixam claro que cada Igreja específica tem um anjo da guarda. Isso deve nos tranquilizar, a nós que pertencemos a Igrejas específicas e que pedimos a ajuda do anjo de nossa Igreja específica.

Costuma-se entender que os “quatro animais” mencionados no capítulo 4 são anjos, embora aos olhos humanos apareçam  em forma animal. Esses animais correspondem aos bordados no véu diante do lugar santíssimo no Templo de Jerusalém.

Embora os anjos do céu se apresentem aos olhos humanos em forma corporal, os anjos, na verdade, não têm corpos. Seu nome significa “mensageiro”, e os atributos físicos costumam simbolizar algum aspecto de sua natureza ou missão. As asas indicam sua banquete_do_cordeiro_menorzimrapidez para se mover entre o céu e a terra. Os múltiplos olhos significam seu conhecimento e sua vigilância. Talvez, a princípio, anjos de muitos olhos e de seis asas pareçam assustadores, mas, se pensarmos neles em termos de sua rapidez e de sua vigilância, ficaremos tranquilos. Há seres com os quais podemos contar, quando o dragão ameaça nossa paz.

No Apocalipse, os anjos também aparecem como cavaleiros (cap.6) que procedem ao juízo de Deus sobre os ímpios (veja também ZC 1,7-17). Grande parte da ação nestes capítulos ligam-se aos acontecimentos que cercaram a queda de Jerusalém no ano 70 d.C. Mas a passagem tem aplicações que ultrapassam o século I, enquanto a terra precisar de julgamento.

Os anjos do Apocalipse controlam os elementos, o vento e o mar, para fazer a vontade de Deus (cap.7). Os capítulos 7-9 deixam claro que os anjos são guerreiros poderosos e que combatem constantemente do lado de Deus- que, se domos fiéis, é também do nosso lado.

HAHN, S. O banquete do Cordeiro: a missa segundo um convertido. 11ª edição. São Paulo: Ed. Loyola, 2009.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.