Templo de Deus

A palavra “templo” tem uma conotação propriamente religiosa. Ela sempre fez parte do calendário do povo de Deus, tanto no Antigo como no Novo Testamento. O destaque maior, conforme a Sagrada Escritura foi o Templo de Jerusalém, o espaço sagrado do povo antigo da Palestina e lugar privilegiado de peregrinação pascal.

No tempo de Jesus, esse “lugar sagrado” tinha se transformado em “lugar profano”, em recinto de comércio e exploração, dos chamados “vendilhões do templo”. Jesus não se conformou com essa realidade e, numa atitude heróica, expulsou dali o que era incompatível com os objetivos daquele ambiente sagrado.

Devemos entender que a fé não pode simplesmente se transformar em objeto de mercado, pior ainda, de marketing. Às vezes acontece com o trabalho realizado com o dízimo, com interesses apenas de rendimentos econômicos e de pouca preocupação com a formação humana e cristã! Pode ajudar na construção de templo de pedra e não melhorar a vida das pessoas.

Os templos de pedra dever ser lugares onde se ensina as pessoas a viverem como verdadeiros irmãos. Quando o dinheiro é o mais importante, ele se torna prática de cobiça, privilegiando aqueles que são os “mais espertos”. Em vez de adoração do único Deus, Deus passa a ser transformado em dinheiro e instrumento de egoísmo.

Ao falar sobre o templo, Jesus quis mostrar que o verdadeiro templo não é formado de pedras e de quatro paredes. Ele fala do templo que é a própria vida da pessoa, no dizer de Paulo: “Pois o templo de Deus é santo e esse templo sois vós” (I Cor 3, 17). É esse templo que deve ser construído efetivamente em nossas comunidades.

Numa espiritualidade de hoje, o templo é o próprio Cristo, sendo Ele o lugar de encontro com o Deus da vida. É Ele ressuscitado e vivo no meio das pessoas, que deve ser procurado por todos nós. Na verdade, o templo é o próprio povo, são as comunidades cristãs que procuram vivenciar as palavras e os ensinamentos do Senhor.

***
Dom Paulo Mendes Peixoto

Bispo de São José do Rio Preto (SP)

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.