Tele-pecado

É incrível a capacidade do ser humano para descobrir novas formas de satisfazer a sede de prazer dos seus mais baixos instintos. Seduzido pelo anjo das trevas ele se deixa seduzir e põe os mais sofisticados recursos da inteligência e da técnica a serviço do pecado; isto é, daquilo que ofende a dignidade da criatura e atenta contra o Criador.

Depois das tristes invenções dos móteis, antros da prática da luxúria e da infidelidade conjugal, depois das casas de “massagens”, videos eróticos, canais de TV com programações eróticas de 24 horas, sexo via Internet, depois da criação dos “meninos e das meninas de programa “, na sua maioria adolescentes a serviço da exploração dos adultos, inventaram ainda os famosos “Teles”: tele-fantasia, tele-erótico, tele-sexy, tele-gay, tele-horóscopo, tele-tarô, tele-mentira, tele-prostituição, enfim, tele-pecado. 

Nunca se viu tanta permissividade moral invadir os nossos lares sagrados! Nunca foi tão avassaladora a onda do mar de lama a nos atingir. Nunca o Criador foi tão ofendido e desprezado pela criatura mais bela que ele criou à sua “imagem e semelhança”, para ser a sua maior glória na face da terra. Por essa criatura o Criador aceitou se fazer homem e morrer numa cruz. No entanto, essa é a resposta que Ele recebe de uma humanidade que já não mais o reconhece como o seu Deus.

Mas, o que mais nos entristece, e até revolta, é constatar que tudo isso é promovido com a complacência e a conivência das autoridades públicas, que deveriam ser as primeiras a impedir tais absurdos. Um meio de comunicação útil e prático como o telefone, jamais poderia, por razões éticas e morais, ser transformado em um instrumento de promiscuidade moral. A conivência das autoridades responsáveis, atesta, que a nossa sociedade já vive o neo-paganismo; isto é, o Evangelho, que até alguns anos atrás era a referência para o comportamento da sociedade, não passa agora de letra morta. É a secularização do mundo e do estado, que eliminou Deus de sua vida.

Definitivamente eliminou-se o “temor de Deus” no meio da sociedade que se torna mais individualista, narcisista, hedonista, pecadora. O ateísmo que se vive hoje, é um ateísmo prático, selvagem, não mais filosófico. Não mais se pergunta se Deus existe; apenas se age como se Ele não existisse, e pronto. Apesar disso, 99 por cento dizem acreditar em Deus…

Pior do que o pecado cometido sob o peso da fraqueza da carne, é aquele cometido quando se explora comercialmente aquilo que é imoral, que atenta contra a dignidade do ser humano, transformando-o em um meio de lucro. Sem dúvida estamos aqui diante de um pecado dobrado, praticado não pela fraqueza da natureza humana, mas pelo amor desenfreado do dinheiro, como disse São Paulo “razão de todos os males” (1Tm 6,10).

O Catecismo da Igreja Católica, fala sobre o escândalo:

“Quem usa os poderes de que dispõe de tal maneira que induzam ao mal torna-se culpado de escândalo e responsável pelo mal que, direta ou indiretamente favorece. “É inevitável que haja escândalos, mas ai daqueles que o causar’ (Lc 17,1)” (n.2287).

É incrível constatar que há pessoas que consigam dormir em paz sabendo que “faturou” às custas do pecado dos outros, e da morte das suas almas.

É incrível saber que há pessoas que aceitam enriquecer-se com a venda da droga que vai destruir vidas jovens e famílias; outras que aceitam comercializar o corpo sagrado da pessoa humana, templo do Espírito Santo (1Cor 3,16; 6,19).

É incrível observar que a sede de dinheiro possa ser maior que o respeito à verdade, à pureza, o amor ao próximo…

É incrível notar que Cristo continua a ser vendido por trinta moedas!

O Tele-sexo é mais um tentáculo de um mesmo polvo. Não bastasse a pornografia na telivisão, agora vem mais essa, a pornografia por telefone.

E assim, os valores da família vão sendo afrontados e destruídos. O que poderemos esperar de uma sociedade desta? Apenas violência, lágrimas, pânico, morte…

É preciso reagir! É preciso ter coragem de reagir. É preciso ter a coragem de “mostrar o rosto de cristão” e dizer um BASTA a essa situação. Nenhum católico pode se omitir nesta hora grave. Se não entrarmos nesta luta, com a graça e a proteção de Deus e da Virgem Maria, poderemos ver os nossos próprios filhos serem tragados por esse mar de sujeira.

Se nós católicos nos omitirmos, o nosso país vai afundar nesse monstruoso atoleiro moral. Dizia o Papa Leão XIII que “a audácia dos maus se alimenta da covardia dos bons”.

Sabemos que esta é uma luta como aquela do gigante Golias contra o pequeno Davi. Sabemos que os impérios das TVs e dos “mass media” são gigantes diante de nós. Mas com a graça de Deus haveremos de enfrentá-los com a coragem de Davi.

São Paulo nos diz que “onde o pecado foi abundante, a graça foi superabundante” (Rom 5,20).

Juntemo”nos àqueles que, movidos por Deus, dão combate ao grande Golias e ele será ferido na fronte. É preciso hoje, na fé, repetir as palavras que o rei Davi disse a Golias:

“Tu vens a mim com espada, lança e escudo; eu, porém, vou a ti em nome do Senhor dos exércitos, do Deus das fileiras de Israel, que tu insultaste”.

E mais ainda, disse-lhe Davi:

“Toda a terra saberá que há um Deus em Israel, e toda essa multidão saberá que não é com a espada nem com a lança que o Senhor triunfa, pois a batalha é do Senhor, e ele vos entregou em nossas mãos” (I Sam 17,45).

Assim como Davi venceu Golias com uma desprezível funda e uma pequena pedra, podemos também nós, com os recursos que nos são disponíveis pela fé, vencer o gigante de hoje. E como Davi não tinha espada, usou a própria espada do gigante para cortar”lhe a cabeça. Podemos também usar os mesmos meios sofisticados das comunicações para “degolar” o mal. Urge portanto que surjam as rádios e as TVs católicas, as revistas e os jornais cristãos. E, graças a Deus, já estão surgindo em toda parte. Transformaremos o “tele-pecado”, no “tele-graça”. Com os mesmos meios sofisticados espalhemos a graça de Deus.

A estratégia deve ser esta: tudo de bom que está sendo usado para o mal, devemos usar, sem medo, para o bem. Toda a tecnologia avançada que é usada pelos mensageiros das trevas, deve ser usada pelos mensageiros da luz de Cristo.

Se ficarmos acanhados e acovardados em nossos cantos, apenas nos lamentando mutuamente da situação, nada será feito para reverter esse triste quadro. Com a força invencível da fé, da oração, e da luta perseverante, poderemos mudar a situação.

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.