Só na Igreja Bíblia pode-se compreender plenamente, diz D. Ladaria

Secretário
da Doutrina da Fé participa do congresso de Madri sobre a Bíblia

MADRI,
terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) – A
Bíblia cristã surgiu na Igreja e só na Igreja pode ser plenamente compreendida,
disse hoje o secretário da Congregação para a Doutrina da Fé, o arcebispo Luis
Francisco Ladaria Ferrer.

O prelado
interveio no congresso “A Sagrada Escritura na Igreja”, que acontece
até 9 de fevereiro, no Palácio de Congressos de Madri, com uma conferência
focada na “Sagrada Escritura e Magistério da Igreja”.

“A
relação entre a Sagrada Escritura e o Magistério da Igreja é certamente
complexa”, reconheceu o prelado jesuíta.

“Por
um lado, a primazia da Palavra de Deus deve sempre ser claramente afirmada. Por
outro, é preciso afirmar também que a Escritura não pode jamais ser separada da
vida da Igreja, que lhe deu origem e que, assistida pelo Espírito Santo, determinou,
com decisões solenes, baseadas em uma longa tradição, que livros deveriam ser
considerados inspirados pelo Espírito Santo e que entrariam, portanto, no cânon
das Escrituras.”

“A
Igreja é o único âmbito apropriado para a interpretação da Escritura como
palavra atual de Deus, porque é o âmbito privilegiado da ação do
Espírito.”

Neste
âmbito, Dom Ladaria colocou a função própria do Magistério, “que, à escuta
da Palavra, extrai o que propor a todos os fiéis como verdade revelada”.

“Não
podemos falar de Escritura sem a Tradição viva da Igreja, que a propõe a nós
como tal, e sem o Magistério, que, com sua autoridade, determinou seus limites
precisos e julga sobre sua interpretação”, indica o representante do
Vaticano, quem mostrou como o cânon dos livros revelados já havia sido
apresentado no século IV por Santo Atanásio (ano 367) e que chegou ao seu
estabelecimento nos concílios de Florença e de Trento.

“Por
outro lado, a tradição da Igreja e seu Magistério vivo nos indicam a primazia
da Sagrada Escritura, Palavra de Deus em um sentido totalmente singular, como
aparece sobretudo na liturgia da Igreja”, continuou explicando o prelado.

O princípio
“lex orandi, lex credendi”, “a lei da oração é a lei da
fé”, concluiu o prelado, “aplica-se também aqui e nos mostra o lugar
privilegiado que a Escritura tem na vida da Igreja e que, por conseguinte, deve
ter na vida de todo fiel cristão”.

Todas as
conferências que já foram pronunciadas no congresso “A Sagrada Escritura
na Igreja” estão disponíveis em www.sagradabibliacee.com, onde também são transmitidas
online.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.