Segunda pregação de advento no Vaticano versa sobre fé na eternidade

Vaticano, 11 Dez. 10 / 02:45 pm (ACI).- O Papa Bento XVI participou da segunda Pregação do Tempo do Advento na Capela Redemptoris Mater, no Vaticano, durante a manhã da sexta-feira, 10 de dezembro. Na ocasião, o pregador da Casa Pontifícia, frei Raniero Cantalamessa, O.F.M. Cap., falou sobre a resposta cristã ao secularismo, diferenciando-o do conceito de secularização.

Em declarações reunidas pelo Portal Canção Nova Notícias, frei Cantalamessa explicou que “a secularização é um fenômeno complexo e ambivalente. Pode indicar a autonomia das realidades terrenas e a separação entre o reino de Deus e o reino de César e, neste sentido, não é apenas não-contrária ao Evangelho, mas encontra nele uma das suas raízes profundas. Pode, no entanto, indicar também todo um conjunto de abordagens contrárias à religião e à fé, para o qual se prefere usar o termo secularismo. O secularismo está para a secularização como o cientificismo está para a cientificidade e o racionalismo para a racionalidade”.

O capuchinho salientou que o secularismo possui muitas faces e se manifesta em diversos campos e realidades, defendendo a noção redutiva de real como somente aquilo que pertence à dimensão terrena. Nesse sentido, o mundo estaria imerso em uma espécie de eclipse do sentido de eternidade, em que a vida eterna e verdadeira após a morte torna-se uma espécie de incerteza.

“A queda do horizonte de eternidade tem sobre a fé cristã o mesmo efeito da areia jogada sobre uma chama: a sufoca, a apaga. A fé na vida eterna constitui uma das condições de possibilidade da evangelização”, afirmou o pregador da casa pontifícia.

Frei Cantalamessa defende que, da mesma forma como para o cientificismo, a saída mais produtiva não consiste em combater o erro contrário, “mas fazer resplandecer de novo diante dos homens a certeza da vida eterna, aproveitando a força intrínseca que possui a verdade quando é acompanhada do testemunho de vida”.

‘Para o crente, a eternidade não é, como se vê, somente uma esperança, é também uma presença. Fazemos essa experiência toda vez que fazemos um verdadeiro ato de fé em Cristo, porque quem crê nele já possui a vida eterna (cf. 1 Jo 5,13); toda a vez que recebemos a comunhão […]; toda a vez que escutamos as palavras do Evangelho”, ressaltou o sacerdote franciscano.

A Matéria completa pode ser vista no Canção Nova Notícias no link:
http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=279324
 

 

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.