SãoTomas de Aquino

Dominicano,
Doutor da Igreja e um dos grandes teólogos e filósofos da historia da igreja.
Ele nasceu em Roccasecca em 1225, Itália de uma família nobre e seu pai era o
Conde Landulf de Aquino- um parente do imperador Romano e Rei de França e de
sua mãe era Teodora de Teano.
Na idade de 5 anos foi enviado para estudar na Ordem Beneditina de Monte
Cassino. Ele era muito inteligente e os beneditinos ficaram admirados pelo seu
raciocínio brilhante. Algum tempo depois os monges beneditinos foram
desalojados da Abadia pelas tropas do Imperador Frederico II. No mesmo ano em
1239 ele começou a estudar na Universidade de Nápoles, concentrando seus
estudos em filosofia, gramática, retórica e lógica.
Ele já estava atraído pela Ordem Dominicana e expressou o desejo de se tornar
um frade, o que era totalmente inaceitável pela sua família. Alguns membros de
sua família até contrataram uma linda mulher para tenta-lo, mas seus esforços
foram em vão e Tomas perseverou na sua vocação e como recompensa por isto, foi
conferido a ele anos mais tarde o titulo de “Doutor Angélico”. Em
seguida ele foi raptado pelos seus irmãos e aprisionado no Monte São Giovanni
de 1244 até 1245. Seus pais finalmente aceitaram a derrota e Tomas foi solto e
voltou para Roma e depois para Paris onde entrou na Universidade. Tomas estudou
em Paris de 1245 a
1248 sob a direção de São Alberto Magnus que o acompanhou em 1248 ao Novo
Colégio Dominicano de Colonha (Alemanha), onde ele foi ordenado. Voltando, dois
anos mais tarde para Paris, ele ensinou teologia, e continuou seus estudos e
escreveu um notável comentário sobre as sentenças de São Pedro Abelardo. Em 23
de outubro de 1257 ele e seu amigo São Boaventura receberam seus doutorados em
teologia e Tomas fez o seu sermão inaugural ” A Majestade de Cristo”
baseada nos Salmos 104:13 .
Dois anos mais tarde ele foi indicado como assistente teológico da corte papal,
ficando muito tempo como residente papal em Anagni e Orveto.
A pedido do papa Urbano IV ele escreveu um grande número de teses inclusive o
” O Oficio para a Festa de Corpus Christie “; a “Catena
Áurea”(A Corrente de Ouro) e os “Contra Errores Graecorum ”
(Contra os Erros dos Gregos). De 1265
a 1267 Tomas ensinou em Roma no Colégio Dominicano de
Santa Sabina. Foi durante este tempo que ele começou o seu trabalho mais famoso
o “Magnus Opus” chamado “Summa Thelogiae”. Em 1267 foi para
Viterbo e trabalhou com o Papa Clemente IV, recusando o posto de arcebispo de
Nápoles. Dois anos mais tarde retornou a Paris e aceitou a posto de catedrático
de teologia para os Dominicanos. Sua indicação foi num momento muito útil
porque, ele foi forçado a devotar toda a sua energia para derrotar a oposição
que havia emergido na universidade da Ordem dos Medicants (em particular dos
Dominicanos) com os ensinamentos de Aristóteles e assegurar a condenação das
idéias controvertidas do teólogo Siger de Brabant,e ainda dos chamados
“Averroists”, que advogavam uma forma extrema de Aristotelismo.
Renomado em toda a cristandade, o Papa ordenou a ele que organizasse uma escola
em Nápoles. Ali
ele deu sermões, pregou perante grandes multidões e continuou o seu trabalho de
pesquisa para terminar a sua “Summa Theologiae”. Muito doente e
exausto do seus incessantes trabalhos Tomas, não obstante, obedeceu ao pedido do
Papa Gregório X de participar no Concílio de Lyon. Na França ele teve um
colapso em janeiro de 1274 e morreu no Monastério Cisterciense de Fossanova em
7 de março de 1274.
Ele é comparado a São Paulo e a Santo Agostinho, como um dos maiores teólogos
da Cristandade. Ele conseguiu sintetizar o pensamento Aristoteliano com os
Dogmas Cristãos e fazer da teologia uma ciência.
Ele é conhecido especialmente por harmonizar a razão e a fé ,enquanto mantém a
precisa distinção entre os dois: a razão ajuda a descobrir a existência de
Deus, mas é insuficiente como guia para as ações humanas, alcançada pela fé,
que é necessária para a descoberta de verdades mais elevadas reveladas pelo
consentimento Divino.
O corpo teológico que Tomas formulou em seus escritos, veio a ser chamado
Tomismo e é considerado a coroação da Escolástica.
Inicialmente com muita objeção na igreja, (alguns até o condenaram em Paris em
1277) o Tomismo foi abraçado como um todo e em 1567 o Papa Pio V o declarou
Doutor da Igreja e os Dominicanos impuseram seus ensinamentos. Em 1879, o Papa
Leão XIII promulgou a Encíclica Aeterni Patris, ordenando que os escritos de
São Tomas fossem estudo obrigatório a todos os padres e estudantes de teologia.
Seus escritos incluem toda a doutrina cristã, cobrindo teologia, filosofia e as
escrituras. O seu mais famoso trabalho a “Summa Teologiae” , é o uma
exposição extremamente coerente da fé cristã. Feita por ele para ser um manual
para os estudantes, provou ser a mais complexa e a o mais esclarecedor tratado
em teologia cristã já escrito. Apesar de não o ter terminado, Tomas o organizou
em três partes e tem um total de 38 tratados separados, 612 questões, 3.120
artigos e aproximadamente 10.000 objeções individuais.
Seus escritos incluem ainda : Um comentário sobre a sentença de Pedro Lombardi
“De Ente et Essentia” (Da Essencia do Ser); Comentários Bíblicos, De
Regimine Principium (Em Ser
Rei) ; Contra Impugnantes Religionem,(na defesa da Ordem dos
Mendicantes) ; De Perfectae Vitae Spiritualis (sobre a vida espiritual); De
Unitate Intellectus Contra Averroistas,( contra os Averroistas) ; Comentários
sobre Aristóteles ; Quaestiones Disputatae e Quaestiones Quodlibetales, (uma
coleção e debate de questões a serem examinadas nas salas de leituras) e a
” Summa Contra Gentiles (Summa de Veritate Catholicae Fidei Contra
Gentiles), que é um manual que converte para a fé cristã os escritos de São
Raymond Peñafort. Tomas o fez para ser usado pelos missionários entre os judeus
e os muçulmanos.
São Tomas foi canonizado pelo Papa João XXII em 1323 e conhecido como Doutor
Angelicus e Doutor Communis em honra da sua enorme contribuição aos
ensinamentos católicos. Em 1880 o Papa Leão XIII honrou São Tomas como o
patrono das escolas, colégios e universidades.

É ainda o
padroeiro da castidade entre os jovens. Entre as jovens é a Santa Maria
Goretti.

Na liturgia
ele é mostrado como um Dominicano, segurando um livro com raios de luz emanando
do seu peito .

Sua festa é
celebrada no dia 28 de janeiro.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.