São Lucas

São Lucas,
evangelista e patrono dos pintores e médicos, ele é o autor do terceiro livro
dos evangelhos que tem o seu nome e do   Atos dos Apóstolos.

Um médico,
São Lucas é tido como sendo um grego da Antiópia (moderna Turquia). Que era
medico é confirmado por uma passagem em Colossians (4:14) na qual São Paulo
descreve Lucas como “amado medico”. Um convertido na nova fé, ele
acompanhou São Paulo na sua segunda jornada missionária em torno dos anos 51 DC
e permaneceram 6 anos em Philippi, na Grécia e foram na terceira jornada com
Paulo, que incluiu o famoso naufrágio as costas de Malta. Ele permaneceu com
Paulo durante sua prisão.Paulo escreveu três vezes sobre Lucas no Novo
Testamento: em Colosians, em Timoteo e em Philomon. É possível deduzir a
presença de Lucas com Paulo nas jornadas missionárias pelas varias passagens no
 “Atos dos Apóstolos”
(16:10-17; 20:5-21:18; 27:1-28:16). Em 66 DC, Lucas voltou para a Grécia onde
se acredita que veio a falecer com a idade de 84 anos “repleto do Espirito
Santo”. Vários “Atos” relatam que foi martirizado, embora vários
escolares acreditam que isto seriam lendas não confiáveis. Ele é tido como
tendo visitado a Virgem Maria e se acredita que ele teria pintado vários
quadros da Virgem Maria em especial o lindo quadro conhecido como o de Nossa
Senhora do Perpétuo Socorro. Seu trabalho estaria preservado em Roma na
“Santa Maria Magiore”, embora as datas das pinturas seriam bem depois
dos tempos apostólicos. O seu evangelho definidamente foi escrito para os gentios.

Um dos aspectos
mais interessantes de Lucas é que freqüentemente fazia a justaposição de uma
história de um homem com a de uma mulher. Por exemplo, a cura dos demoníacos (Lc
4:31-37) e seguida da cura da sogra de Pedro (4:39-39) , o escravo do centurião
é curado (7:1-11) e o filho da viuva de Nain é curado, o Geranese demoníaco é
curado (8:26-39) seguido pela cura da filha de Jairus e da mulher com
hemorragia (8:40-56).

Lucas
também menciona as mulheres que assistiam Jesus no seu ministério (8:1-3) Assim
diferente de todos os outros evangelistas São Lucas descreve um Jesus que se
preocupa com o cuidado e a salvação das mulheres. Talvez por isso,
provavelmente Lucas teria aprendido muito a respeito de Jesus com a Virgem
Maria. Somente ele e Mateus descrevem elementos obscuros ou escondidos da vida
privada de Jesus, antes de Seu ministério público.

Ainda, ao
mencionar a sogra de Pedro, ele deixa claro e de maneira natural que Pedro era
casado.
Lucas enfatiza a misericórdia e o amor de Deus para com a humanidade. Ele é o
único que descreve a parábola da ovelha desgarrada, do Bom Samaritano, do filho
pródigo, de Dives e Lázaro. Ele é também o único que descreve o perdão de Jesus
a Maria Madalena (Luc7:47), a promessa ao bom ladrão e sua oração para seus
executores. Ele é também o único evangelista a registrar a “Ave
Maria”, o “Magnificat”, o “Benedictus”, e o “Nunc
Dimittis” que são todos usados na Liturgia das Horas (orações da noite,
tarde e manhã).Lucas enfatiza o chamado para a oração, a pobreza, a pureza de
coração, os quais teriam um apelo especifico aos gentios.

Lucas
também escreveu os “Atos dos Apóstolos” que é também conhecido com
“Atos do Espirito Santo”. É uma continuação do que conta em seu
evangelho, embora os Atos talvez tenham sido escritos primeiro. De acordo com
os escolares São Euzébio e São Jerônimo, os Atos foram escritos durante a
prisão de São Paulo, embora Santo Irineu já pense que foram escritos após a
morte de São Paulo, lá pelos anos 66 DC . Euzébio diz que o evangelho foi
escrito antes da morte de Paulo, Jerônimo diz que foi depois e a tradição
antiga diz que foi escrito pouco antes da morte de Lucas, quase no século
segundo.
O evangelho teria sido escritos entre 70 e 85 DC, possivelmente na Grécia .Os
atos dos apóstolos detalham a igreja nos tempos de 35 a 63 DC, demonstrando um
estilo de prosa soberbo, e um estilo de quem presenciou a fé.

Certas
passagens dos Atos escrito na primeira pessoa do plural, são usualmente usadas
para indicar que o escritor estava com São Paulo em parte da sua segunda jornada
missionária e sem dúvida na viagem que ambos fizeram a Itália e estavam juntos
quando o navio naufragou ao largo da costa de Malta (Acts 16:10ff:20:5ff
27-28). São Paulo diz nas suas cartas quando preso: “Lucas é a minha única
companhia”.
Durante o martírio de Paulo, Lucas nunca saiu do seu lado.
Lucas sem dúvida conversava muito com a mãe de Jesus e com São João.

As suas
relíquias foram trasladadas para Constantinopla e Pádua.

De acordo
com a Igreja Católica Ortodoxa Grega, São Lucas sempre andava com uma pintura
de Nossa Senhora com ele, e ela foi o instrumento de varias conversões. Na
verdade ele foi um grande artista e grande escritor, e suas narrativas
inspiraram grandes escritores e grandes mestres da arte, mas as pinturas
existentes da Virgem, as quais são dito que ele teria pintado, são trabalhos de
datas bem mais recentes. Não obstante alguns julgam que a pintura de Nossa
Senhora do Perpétuo Socorro teria sido pintada por ele.

Pinturas
excepcionais de S.Lucas são as de Roger van Weyden na Pinacoteca de Munique, na
Alemanha, a de Jean Grossaert em Praga e a de Rafael na Academia de São Lucas
em Roma.

Na arte
litúrgica da igreja ele é mostrado com um machado e às vezes mostrado pintando
o retrato da Virgem Maria.

Sua festa é
celebrada no dia 18 de outubro.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.