São Francisco de Sales, patrono dos escritores e jornalistas

São Francisco de Sales, Bispo e Doutor da Igreja (12)“O pedido mais importante que devemos fazer a Deus é a união da nossa vontade com a d’Ele”. São Francisco de Sales

São Francisco de Sales, em seus 56 anos de vida, não buscou a santidade somente para si, mas também, para os outros. Evangelizou e propagou a sã Doutrina com a ajuda da imprensa, através de suas pregações, mas principalmente, com seu testemunho. Conseguiu expressar com seu amor e sua vida, a mansidão do Senhor.

Devido ao seu estilo e ao conteúdo de seus escritos, foi instituído o patrono dos escritores e jornalistas, e consagrado Santo e Doutor da nossa Igreja.

Conheça alguns de seus ensinamentos:
“O mundo é uma oficina, na qual são batidas e talhadas as pedras vivas que devem servir na construção da Jerusalém celeste”.

“Santo é o amor. Deves, pois, temer a Deus por amor e não amá-lo por temor”.ensinamentodossantos

“É orgulho não nos conformamos com nossa fraqueza e nossa miséria”.

“Se eu caísse numa grande falta, não censuraria meu coração com frases como estas: Miserável! Abominável! Morre de vergonha! Não ouses levantar os olhos para o céu, traidor, imprudente, desleal! Não, eu não lhe falaria assim, mas procuraria corrigi-lo racionalmente: ora, meu pobre coração…vamos! Caímos? Pois bem, levantemo-nos, deixemos esta miséria, vamos reclamar a infinita misericórdia de Deus. Ela nos há de assistir daqui em diante para que sejamos mais fortes…E assim… empregaria todos os meios de não pecar”.

“Que importa se Deus nos fala entre espinhos ou entre rosas perfumadas? “

Leia também: São Francisco de Sales

“O pedido mais importante que devemos fazer a Deus é a união da nossa vontade com a d’Ele”.

“Procura a Deus de coração reto, procura-o em todas as coisas; e tu O acharás, e com Ele, a paz do teu coração”.

“A Missa é o sol da Igreja”.cpa_na_escola_dos_santos

“Desde que dirijamos o olhar para Deus, não devemos nos perturbar. Quer tudo revire para o ar, não digo somente em redor de nós, mas em nós, isto é, quer nossa alma esteja triste, alegre, mansa, em amargura, em paz, perturbada, iluminada, em trevas, entusiasta, enfadada, árida, terna; quer o sol a queime ou o orvalho a refresque, faz-se necessário que o extremo do nosso coração, nosso espírito, nossa vontade se volte incessantemente para o amor de Deus”.

“Não nos devemos perturbar à vista de nossas imperfeições, porque a luta contra elas não pode nem deve acabar antes de nossa morte. A nossa perfeição consiste em combatê-las”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.