Santa Teresinha do Menino Jesus, uma das maiores santas dos tempos modernos!

santa-terezinha-e-as-rosas-4“Uma das maiores santas dos tempos modernos”, assim disse o Papa São Pio X se referindo a Santa Teresinha.

Santa Teresinha foi proclamada Doutora da Igreja por inaugurar um caminho novo de espiritualidade, a “ Infância espiritual”. Em toda a sua vida procurou “se fazer pequena como criança”, como Jesus ensinou, de modo a poder entrar no Reino dos Céus. Um cardeal disse certa vez, que ela ‘desentulhou o caminho do céu’.

É o que admiravelmente havia compreendido Teresa de Lisieux. O texto em que exprimiu sua convicção é de indizível beleza:

“A caridade deu-me a chave de minha vocação.

Compreendi que se a Igreja tinha um corpo, composto de diferentes membros, o mais necessário, o mais nobre de todos não lhe faltava; compreendi que a Igreja tinha um coração, e que esse coração era ardente de amor. Compreendi que somente o amor fazia agir os membros da Igreja, e que se o amor chegasse a extinguir-se, os apóstolos não anunciariam mais o Evangelho, os mártires recusariam verter seu sangue.

Compreendi que o amor encerrava todas as vocações, que o amor era tudo, que abrangia todos os tempos e lugares…numa palavra, que é eterno. Então, no auge de minha alegria delirante, exclamei: “Ó Jesus, meu Amor! Minha vocação, encontrei-a enfim, minha vocação é o amor. Sim, encontrei meu lugar na Igreja, e esse lugar, ó meu Deus, fostes vós que me destes. No coração da Igreja, minha mãe, serei o amor, e assim serei tudo. Assim meu sonho se realizará” (Manuscritos autobiográficos, p.229).

Esta santa, viveu uma vida de oração e de sacrifícios em favor dos missionários e dos sacerdotes. Assim, em 1927, dois anos após sua canonização, foi declarada padroeira principal das Missões, e também começou a ser invocada desde 1944, como padroeira secundária da França, ao lado de Santa Joana D’Arc.

Por obediência escreveu “ A História de uma alma”, sua autobiografia, e entre uma série de outros pensamentos, nos deixou muitas lições. Conheça algumas delas:

1. No Céu não encontraremos olhares indiferentes nem invejosos, porque a felicidade de cada um será a de todos.

2. A desconfiança é o que mais fere o coração de Jesus.

3. Não é para ficar em uma âmbula de outro de Jesus desce do céu cada dia, mas para encontrar um outro céu, o da nossa alma, onde Ele encontra as suas delícias.

4. Nunca é demais a confiança no bom Deus, tão poderoso e tão misericordioso.

5. Não temas as tempestades da Terra! Teu Anjo te protege com suas asas.

6. Como é grande o poder da oração! Poderíamos compará-la a uma rainha, que tem sempre entrada franca junto do rei e consegue tudo o que pede.

7. Ocupemos o último lugar. Ninguém brigará convosco por causa dele.

8. A humildade consiste na verdade.

9. A santidade não consiste nesta ou naquela prática, é mais uma disposição do coração que nos faz humildes e pequenos nos braços de Deus, conscientes de nossa fragilidade, e confiantes, até a ousadia, em sua bondade de Pai.

10. É por pensarem no passado e no futuro que as criaturas se desencorajam e se desesperam.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.