Santa Sé se torna membro da Organização Internacional para as Migrações

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 05-12-2011, Gaudium Press) A Santa Sé ingressou oficialmente nesta segunda-feira como membro da Organização Internacional para as Migrações (OIM), com sede em Genebra, Suíça, após ter sido admitida pela assembleia plenária do organismo. A OIM, nascida após a II Guerra Mundial, celebra em 2011 o seu 50.º aniversário, data que foi recordada por Bento XVI este domingo.

Em seu pronunciamento antes da oração mariana do Ângelus o Santo Padre confiou “ao Senhor quantos, muitas vezes forçadamente, têm de deixar o seu próprio país ou não têm nacionalidade. Ao encorajar a solidariedade para com eles, rezo por todos os que se esforçam para proteger e assistir estes irmãos em situação de emergência, expondo-se também a grandes fadigas e perigos”.

O Observador Permanente da Santa Sé junto das instituições da ONU sediadas em Genebra, Dom Silvano Maria Tomasi, afirma que a Santa Sé quer “estar presente e participar nos esforços da OIM, com uma voz ética que ajude a interpretar as novas situações”.

A Santa Sé integra agora, plenamente, a Organização Internacional para as Migrações, com o objetivo de “sublinhar a sua participação neste fenómeno de enorme relevo e que, apesar da crise economica, se prevê que continue a crescer”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.