Santa Sé pede fim da discriminação dos cristãos

Cardeal
Bertone fala em reunião no Cazaquistão

ASTANA,
domingo, 5 de dezembro de 2010 (ZENIT.org) – O secretário de Estado vaticano,
cardeal Tarcisio Bertone, pediu que os governos e a sociedade combatam a
discriminação dos cristãos.

O cardeal
falou na quarta-feira, na Reunião de Chefes de Estado e de Governo da OSCE
(Organização para a Segurança e Cooperação na Europa), evento realizado em
Astana (Cazaquistão).

Segundo Bertone,
a sociedade aprendeu muito do passado e compreendeu “que crer em Deus,
praticando a religião e unindo-se aos demais em expressar a própria fé, não é
uma concessão outorgada pelo Estado, mas um verdadeiro direito fundado na
dignidade da pessoa humana”.

Infelizmente
– lamentou – observa-se uma “crescente marginalização da religião, em
particular do cristianismo, que se verifica em alguns âmbitos, inclusive em
nações que atribuem à tolerância um grande valor”.

“A
ideia da religião como forma de alienação está desmentida pela constatação de
que os crentes representam um eixo fundamental a favor do bem comum”,
disse. Segundo o cardeal, deve-se esperar das religiões uma contribuição eficaz
par a coesão social, a segurança e a paz.

“A
vida religiosa, como fator importante para a vida social e cultural dos países,
não está ameaçada só por restrições vexatórias, mas também pelo relativismo e
por um falso secularismo, que exclui a religião da vida pública”, disse.

O cardeal
Bertone prosseguiu denunciando que “estreitamente unida à liberdade
religiosa, ali onde esta é negada, encontram-se a intolerância e a
discriminação por motivos religiosos, especialmente contra os cristãos”.

Está
amplamente documentado que os cristãos são o grupo religioso mais perseguido e
discriminado – disse -. Mais de 200 milhões deles, pertencentes a confissões
distintas, encontram-se em situação de dificuldade por causa de estruturas
legais e culturais.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.