Santa Faustina Kowalska

MARIA
FAUSTINA KOWALSKA escrevia em 1937 no seu Diário: “A glorificação da Tua
misericórdia, ó Jesus, é a missão exclusiva da minha vida”.

 Nasceu
em Glogowiec, na Polônia central, no dia 25 de Agosto de 1905, de uma família
camponesa de sólida  formação cristã. Desde a infância sentiu a
aspiração à vida consagrada, mas teve de esperar diversos anos antes de poder
seguir a sua vocação. Em todo o caso, desde aquela época começou a percorrer a
via da santidade. Mais tarde, recordava: “Desde a minha mais tenra idade
desejei tornar-me uma grande santa”.Com a idade de 16 anos deixou a casa
paterna e começou a trabalhar como doméstica. Na oração tomou depois a decisão
de ingressar num convento.

Assim, em 1925,
entrou na Congregação das Irmãs da Bem-aventurada Virgem Maria da Misericórdia,
que se dedica à educação das jovens e à assistência das mulheres necessitadas
de renovação espiritual. Ao concluir o noviciado, emitiu os votos religiosos
que foram observados durante toda a sua vida, com prontidão e lealdade. Em
diversas casas do Instituto, desempenhou de modo exemplar as funções de
cozinheira, jardineira e porteira. Teve uma vida espiritual extraordinariamente
rica de generosidade, de amor e de carismas que escondeu na humildade dos
empenhos quotidianos.O Senhor escolheu esta Religiosa para se tornar apóstola
da Sua misericórdia, a fim de aproximar mais de Deus os homens, segundo o
expresso mandato de Jesus: “Os homens têm necessidade da minha misericórdia”.
Em 1934, Irmã Maria Faustina ofereceu-se a Deus pelos pecadores, sobretudo por
aqueles que tinham perdido a esperança na misericórdia divina. Nutriu uma
fervorosa devoção à Eucaristia e à Mãe do Redentor, e amou intensamente a
Igreja participando, no escondimento, na sua missão de salvação. Enriqueceu a
sua vida consagrada e o seu apostolado, com o sofrimento do espírito e do
coração. Consumada pela tuberculose, morreu santamente em Cracóvia no dia 5 de
Outubro de 1938, com a idade de 33 anos.João Paulo II proclamou-a Beata no dia
18 de Abril de 1993; sucessivamente, a Congregação para as Causas dos Santos
examinou com êxito positivo uma cura milagrosa atribuída à intercessão da Beata
Maria Faustina, e no dia 20 de Dezembro de 1999 foi promulgado o Decreto sobre
esse milagre.

 Foi Canonizada
em 30 de abril de 2000, pelo Papa João Paulo II, sendo agora invocada como
Santa Maria Faustina do Santíssimo Sacramento.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.