Santa Brígida da Suécia

Conhecida
tambem como Santa Brigit.

Nasceu em
1302 no Castelo de Finsta, em Uppsala, Suécia. Filha de Birger Persson governador e juiz provincial de Uppland e de Ingeborg
Bengtsdotter, Suécia. Seu pai era um dos grandes donos de terras do seu país e
sua mãe era muito conhecida pela sua piedade e a sua família era descendente da
família real sueca.

Santa
Brígida começou a ter visões, a maioria da crucificação, na idade de sete anos.
Sua mãe faleceu em 1315, quando ela tinha apenas 12 anos e foi educada pelo
tio, também muito piedoso. Em 1316 com 13 anos ela casou-se com o príncipe Ulfo
de Nércia, em um casamento arranjado, como era costume na época. Mãe de oito
filhos, inclusive de Santa Catarina da Suécia. Outros filhos ignoraram completamente
a Igreja e seus ensinamentos. Amiga e conselheira de vários padres e teólogos
da época, ela era também a secretaria da Rainha Blanche de Namur e em 1335 foi
nesta posição que guiou e aconselhou a rainha e o rei Magnus II. Após a morte
de Ulfo em 1344 ela foi em peregrinação a Compostela e passou a perseguir a
vida religiosa sempre com a oposição da corte. Mas ela conseguiu eventualmente
se livrar do titulo de princesa, primeira na fila da sucessão real, e se tornou
uma cistercience franciscana. Cisterciense ela era visionária, mística e
escritora. Ela descreveu suas revelações recebidas em suas visões e essas
visões se tornaram muito populares na idade média. Passou mais tarde várias ao
Papa Urbano V. Em 1346 fundou a ordem da Mais Sagradas Salvadoras (As
Brigitniditinas) em Vadstena e recebeu a confirmação da Ordem do Papa Urbano V
em 1370. A
Ordem sobrevive ainda hoje com algumas casas. Ela foi conselheira de reis e dos
papas Clemente VI, Urbano VI e Gregório XI, sempre aconselhando-os a retornarem
de Avignon para Roma. Ela sempre aconselhava a todos a meditarem na Paixão
sobre Jesus Crucificado.
Santa Brígida, em uma de suas visões ouviu Jesus dizer a Maria :

“Minha
mãe, sabeis quanto vos amo. Pedi-me pois o que quizerdes. Ao Meu Coração não é
possível repelir os seus rogos. Quando Eu estava sobre a terra, vós a melhor as
mães, nunca me recusastes coisa alguma. Agora que estou no Céu é justo que
satisfaça todos os seus pedidos”.

Uma das
mais incríveis visões de Santa Brigida foi aquela que Jesus mostrou a ela as
5.480 feridas da coroa dos espinhos, do chicote, dos pregos, das ferpas da cruz
e outras tantas que ninguem jamais podia imaginar; e ainda disse a ela as
orações que hoje são conhecidas como as “15 Orações de Santa
Brigida.” 

Faleceu em
23 de julho em Roma e foi enterrada em Vadstena, Suécia no convento que ela
fundou. Foi canonizada em 7 de outubro de 1391 pelo Papa Bonifácio IX.

É a padroeira
da Suécia e das viúvas.

Sua festa é
celebrada no dia 23 de julho.Santa Brígida, rogai por nós!

No passado
era celebrada no dia 8 de outubro(antes de 1969/70).para ver a oração: www.cademeusanto.com.br

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.